sexta-feira, 28/12/2018
Governo

Educação institucionaliza o Orçamento Participativo Jovem

Publicado no Diário Oficial nesta sexta-feira (28), resolução promove integração efetiva dos alunos no cotidiano da escola

Nesta sexta-feira (28), saiu no Diário Oficial a resolução que determina a institucionalização do Orçamento Participativo Jovem na rede estadual de ensino. A publicação é referente à experiência positiva do projeto nas mais de 5 mil escolas paulistas neste segundo semestre letivo.

– Clique aqui para acessar o documento

Com ela, a Secretaria de Estado da Educação tem como objetivo fortalecer a participação dos alunos, por meio do Grêmio Estudantil, nas decisões tomadas em suas escolas, visando reforçar o protagonismo jovem.

“Esse projeto trouxe um senso de comunidade e de resolução conjunta para os estudantes da rede. Ele também permitiu que a escola reconhecesse que o aluno pode decidir o que é melhor para ele”, explica Raphaella Burti, membro da equipe responsável pelos Grêmios na Educação.

O anúncio da resolução foi feito no último dia 19 de dezembro, no Palácio dos Bandeirantes, pelo governador Márcio França e pelo secretário de Estado da Educação João Cury. A proposta é que as equipes gremistas continuem a receber a verba pública.

“Com essa participação, os alunos desenvolvem práticas democráticas. Assim como podem levar essa experiência para a comunidade. Isso foi um aprendizado para todos”, completa Sônia Brancaglion, também da equipe responsável pelos Grêmios.

O OP Jovem foi lançado em julho deste ano como uma iniciativa inovadora para a rede. A partir dele, as escolas estaduais receberam R$5 mil para que os próprios alunos decidissem onde o valor deveria ser investido. Antes do repasse, desse forma, eles tiveram um prazo para identificar as demandas internas e elaborar planos de ação.

No total, o Estado repassou R$25,5 milhões em mais de 5,1 mil propostas de investimentos em bens de consumo, bens permanentes e manutenção, chegando a 99,9% de participação da rede.

Mais do que lidar com orçamento público, portanto, a resolução prevê resgatar a importância do papel do estudante dentro do ambiente escolar e fazer com que ele se sinta cada vez mais incluído, acolhido e motivado a participar das decisões.