Escola da Família

Inscrições para o Bolsa Universidade terminam nesta quinta (14)

Podem participar candidatos matriculados em instituição de ensino superior conveniada

qua, 13.06.2018

O prazo de inscrições para o Bolsa Universidade, do programa Escola da Família (PEF), termina nesta quinta-feira (14).  O programa é um convênio com instituições de ensino superior que oferece bolsa para estudantes universitários que se disponham a atuar como educadores aos finais de semana em escolas estaduais integrantes do PEF. A bolsa equivale a 50% do valor da mensalidade do curso, até o limite de R$ 500,00.

Formulário de inscrição, clique aqui.

Grande ferramenta de transformação social e cultural, o programa estimula as escolas a abrirem seus espaços para a comunidade aos fins de semana realizando atividades voltadas ao esporte, saúde e cultura. “Quando a comunidade participa das atividades está, dessa forma, enriquecendo o seu repertório cultural”, fala Carmen Lúcia Bueno Valle, coordenadora geral do Programa Escola da Família.

Além de fortalecer o elo com a comunidade, “a nossa intenção é promover interação, na parte de entretenimento, e também de aprendizado, pois são oficinas para a construção do saber da comunidade escolar, tanto pessoal quanto profissional”, entende Silvana Sotini, vice-diretora e coordenadora do Programa Escola da Família na escola Professor Euzébio Antonio Rodrigues, em Hortolândia.

Podem se candidatar a uma vaga no programa universitários que estejam regularmente matriculados em cursos de graduação presenciais em instituições de ensino superior privadas que possuam convênio com a Educação por meio do Programa Escola da Família.

Os candidatos, no entanto, não podem ser beneficiários de bolsa de estudos, financiamento universitário ou similares provenientes recursos públicos. Também não podem concorrer candidatos que já tiverem sido beneficiados pelo Bolsa Universidade (exceto os que tiverem entrado na lista de espera).

O universitário deverá cumprir uma carga horária de 8h, desenvolvendo projetos para atendimento da comunidade escolar que levem em consideração a proposta da unidade escolar e as diretrizes do Escola da Família, centradas nos eixos: trabalho, saúde, cultura e esporte.

É necessário optar por escolas da mesma Diretoria de Ensino. Após a inscrição, o candidato tem até o dia 18 de junho para levar a documentação comprobatória de sua condição socioeconômica e acadêmica à Diretoria de Ensino da região onde pretende atuar conforme o cronograma de inscrições vigente.

Os aprovados pela Diretoria de Ensino participarão do processo classificatório, que prioriza alunos com maior dificuldade em custear seus estudos no ensino superior privado. Para isso, é definida uma pontuação que servirá como ordem de chamada, sendo os candidatos convocados para atuar unidades conforme a quantidade de vagas disponíveis. Os que não forem convocados entrarão numa fila de espera que terá validade de 12 meses, ao fim dos quais o candidato não contemplado poderá realizar nova inscrição.

A lista dos documentos necessários, assim como das universidades conveniadas, pode ser conferida no site do Programa Escola da Família.

Sobre o programa

As oficinas desenvolvidas no Programa Escola da Família não são apenas lúdicas, mas capacitam as pessoas para que consigam aperfeiçoar técnicas e alcancem melhores resultados até mesmo em suas atividades profissionais. “O curso de aromatizantes que o PEF ofereceu me proporcionou agilidade e conhecimentos para lidar com vendas, planejamento e compra de materiais, além de dicas para conquistar clientes”, explica Ana Paula dos Reis Machado, participante da comunidade EE Prof.ª Aparecida Ferreira Dourado de Carvalho, da Diretoria de Ensino de Taboão da Serra.

Além do mais, os próprios alunos encontram ali um excelente suporte para as atividades desenvolvidas em sala de aula, conforme relata a dirigente de ensino da região de São Carlos, Débora Gonzales Blanco. Segundo ela, “os estudantes podem ir ao encontro de um espaço para realização das tarefas, pesquisas e trabalhos escolares nas salas de leitura e sala de informática. Por isso, o trabalho voluntário é muito importante e é considerado uma via de mão dupla, pois ele traz realização às pessoas que o desenvolvem e a comunidade se beneficia dessa ação”, explica a dirigente.