quarta-feira, 14/07/2004
Últimas Notícias

Autor de hinos de escolas é recordista brasileiro

Apesar de ter sua melodia mundialmente conhecida, a música que homenageou a primeira visita do papa João Paulo II ao Brasil, em 1980, tem como autor da letra o recordista na composição de hinos no Brasil. Foi o músico Nelson Biasoli quem ajudou a eternizar aquela época de esperança em um novo Brasil com o […]

Apesar de ter sua melodia mundialmente conhecida, a música que homenageou a primeira visita do papa João Paulo II ao Brasil, em 1980, tem como autor da letra o recordista na composição de hinos no Brasil.

Foi o músico Nelson Biasoli quem ajudou a eternizar aquela época de esperança em um novo Brasil com o verso “A Benção, João de Deus, nosso povo te abraça, tu vens em missão de paz…”, cantado por multidões emocionadas pelos quatro cantos do país.

Natural da cidade paulista de Tambaú, onde mora até hoje, aos 73 anos, Biasoli conseguiu a façanha de entrar para o ranking Brasil, espécie de livro Guiness brasileiro, que serve de referência para entidades nacionais e internacionais.

Ao todo, Biasoli compôs 85 hinos, muitos deles de escolas estaduais paulistas, como a E.E Alfredo Guedes, a Tonico Barão e a Santa Chiara. Ele acumulou a lista de títulos ao peregrinar por anos pelo coração do Brasil.

Cada cidadezinha que este missionário visitava era transformada em a mais importante do mundo ao ganhar uma identidade, uma letra, uma melodia proveniente da sensibilidade e da interação de Biasoli com o local.

Reconhecimento

Por onde passa, Biasoli é reverenciado como um herói do interior. “É muito gratificante saber que uma pessoa tão talentosa foi quem compôs o hino da minha querida cidade de Arceburgo. É uma pessoa muito importante na história do meu município”, diz orgulhoso, o morador da cidade mineira, Magno Barbi David.

Além do hino do Estado de Minas Gerais e dos 300 anos de Ouro Preto, quase todos os hinos das cidades do Mato Grosso do Sul também foram escritos por Biasoli. “Desde Retirada da Laguna, atravessei o rio da Corda, entrei em São Paulo passei por cidades como Santa Rosa do Viterbo, Arandu, Vinhedo e em cada uma parava para homenagear com um hino”, conta.

Mas se engana quem pensa que Nelson Biasoli se tornou milionário com sua vocação. Ele não cobra nada pelo trabalho. Vive apenas de sua aposentadoria como professor de música, tendo lecionado, entre outras escolas, na Escola Estadual Dom Pedro II, em Ribeirão Preto, próximo de sua cidade natal. Hoje, é procurado por pessoas de todo o Brasil, que lhe encomendam composições.

A única recompensa que Biasoli recebe é o título de cidadão honorário de cada município. Para ele isto é mais do que gratificante: é um recorde pessoal. “Sou a única pessoa do mundo que tem esse grande número de cidadanias sem ser político”, brinca.

 Eugenio Goussinsky