Escola estadual de tempo integral recebe matrículas em Bauru


Novo modelo de ensino integral tem jornada ampliada, disciplinas eletivas e professores com dedicação exclusiva

Pais devem fazer inscrição até 15 de fevereiro para que os alunos acompanhem todo o ano letivo


A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo informa que estão abertas as matrículas na escola estadual de tempo integral Professor Eduardo Velho Filho, em Bauru. A unidade recebe inscrições para classes de Ensino Médio. Uma das principais ações do programa Educação – Compromisso de São Paulo, o novo modelo de ensino integral oferece jornada ampliada, salas temáticas, disciplinas eletivas e professores com dedicação exclusiva.

Para fazer a matrícula, os pais ou responsáveis pelo estudante devem comparecer à diretoria de ensino da região ou à secretaria da escola de tempo integral e preencher a ficha de adesão ao projeto com nome completo do candidato, data de nascimento, endereço residencial e telefone para contato. É recomendável levar a certidão de nascimento e o comprovante de residência. Como as aulas nas unidades que oferecem o novo modelo terão início em 18 de fevereiro, é preciso fazer inscrição até o dia 15.

Implantado no ano passado em 16 escolas de Ensino Médio para 4.600 alunos, em 2013 a modalidade será ampliada para o ciclo II (6º ao 9º ano) do Ensino Fundamental e deverá atender a 20 mil estudantes em 69 unidades da rede estadual. Ao todo, 48 municípios, em 38 diretorias regionais de ensino, terão escolas com o novo modelo.

 

Diferenciais do novo modelo

No novo modelo, a jornada é de oito horas e meia no Ensino Fundamental e de nove horas e meia no Ensino Médio, incluindo três refeições diárias. A estrutura conta com salas temáticas de português, história, arte e geografia e salas de leitura e informática.

Na matriz curricular, os alunos terão orientação de estudos, prática de ciências, preparação acadêmica ou para o mundo do trabalho e auxílio na elaboração de um projeto de vida, que consiste em um plano para o seu futuro.

Além das disciplinas obrigatórias, os estudantes contam também com disciplinas eletivas, que são escolhidas de acordo com seu objetivo. Cada escola vai definir quais serão elas, de acordo com o interesse dos alunos. Podem ser aulas relacionadas a línguas, tecnologia, artes, entre outros temas. O intuito é contribuir para que o jovem esteja apto para a realização do seu projeto.

Outro ponto forte do novo modelo está no regime de trabalho oferecido para os docentes que atuarem exclusivamente nas escolas de ensino integral. É um regime de dedicação plena e integral de 40 horas semanais com carga horária multidisciplinar, que promove uma maior aproximação entre professor e aluno.

Para isso o docente recebe uma gratificação de dedicação plena e integral, que, por meio de lei sancionada em dezembro do ano passado, foi ampliada de 50% para 75% sobre o salário do professor, inclusive sobre o que foi incorporado durante sua carreira. Por exemplo, para um professor que acabou de entrar na rede ou que ainda esteja na faixa 1/nível 1 o salário passará de R$ 2.088 para R$ 3.654. A gratificação é computada nos cálculos do 13º salário, do acréscimo de um terço de férias e dos proventos da aposentadoria.

Para estarem aptos para desenvolver as atividades previstas na matriz curricular diferenciada, os professores atuantes nas escolas de ensino integral passam por uma formação específica.