Boas Práticas

Inseticida natural é primeiro colocado da Feira de Ciências das Escolas Estaduais

Premiação ocorreu na tarde desta segunda-feira (9) na sede da Educação

seg, 09.05.2016

O inseticida natural no combate ao mosquito Aedes Aegypti foi o grande vencedor da 3ª edição da Feira de Ciências das Escolas Estaduais de São Paulo (FeCEESP), que aconteceu nesta segunda-feira (9), no Teatro Fernando de Azevedo, na sede da Educação. “Comigo ninguém pode, muito menos o Aedes”, apresentado pelo aluno Leandro Leomar Borges Rastelli, usa o veneno da flor que dá nome ao projeto para combater o mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika Vírus.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

“Eu pensei nesse projeto para tentar diminuir esse tanto de caso de Dengue, Chikungunya e Zika que está sendo vivido por toda a população. Então, pensei em várias plantas que eu poderia utilizar, mas cheguei à conclusão que a comigo-ninguém-pode seria ideal, pois ela se encaixa no tríplice da sustentabilidade já que ela é economicamente viável, por ser barata, e ecologicamente correta, por ser natural e socialmente justa, além de ser muito popular na minha região”, disse Rastelli.

O evento contou também com a presença do Secretário de Estado da Educação, José Renato Nalini, que comemorou o êxito nos resultados obtidos pela feira. “A mera menção destes seis projetos já mereceria um ensaio para mostrar à São Paulo e ao Brasil que o ensino público está caminhando na direção certa e que nós estamos aproximando o alunado daquele ideal, que é fazer uma escola próxima à vida, uma escola atenta às necessidades”, disse Nalini.

Para o Especialista de Equipe Curricular da CGEB em Ciências da Natureza e idealizador da feira, Herbert Gomes da Silva, esta edição reservou algumas surpresas, como a participação massiva das meninas e diversas modalidades de ensino participando da final da competição. “Geralmente a área das ciências e da natureza sempre teve o predomínio dos meninos participando, mas nesse ano foi praticamente dividido”, disse.

Todos os alunos foram premiados com kits de formação pela CISCO Brasil, na área de informática, alfabetização da internet e empreendedorismo. A escola vencedora vai à Novo Hamburgo para participar da MOSTRATEC, mostra internacional que destina-se à apresentação de projetos de pesquisa em áreas do conhecimento humano, realizados por jovens cientistas do Ensino Médio e da educação profissional técnica de nível médio, além de se tornar uma Academia CISCO, com equipamentos de tecnologia voltados à educação financiados pela empresa.

Nesta edição, participaram 350 estudantes do 8º ano do Ensino Fundamental à 2ª série do Ensino Médio, com 60 Diretorias de Ensino, 191 escolas e 172 professores. O evento marcou também a abertura da 4ª Edição da feira.

Melhores projetos

Em segundo lugar, ficaram os alunos da E.E Newton Câmara Leal Barros, da região de Taubaté, com o “Telhado Verde Filtrante Sustentável”, que consiste no uso da cobertura verde para captação da água da chuva e na melhoria do conforto térmico das residências.

Os alunos da E.E Profª Maria Santana de Almeida, de Registro, levaram o terceiro lugar na disputa, com a produção de um tijolo à base de fibra de bananeira e papelão. De acordo com os alunos desenvolvedores do projeto, trata-se de um tijolo que leva menos tempo para ser produzido e com custo menor de produção do que os tijolos convencionais. “Eu creio que proporcionamos uma nova economia para a nossa região”, disse Filipe Pires Rocha, criador do projeto.

Jhonatan Felipe da Silva Santos, aluno da rede que cumpria medida socioeducativa na E.E Professor Augusto Lopes Borges (Fundação Casa de Araçatuba), recebeu o prêmio na categoria revelação, com seu projeto que utilizou resíduo moído de giz escolar para corrigir a acidez do solo para vasos com plantas ornamentais. “Eu nunca pensei nisso, de um dia estar aqui presente. E para mim foi tão importante isso porque com um pedacinho de giz eu pude mudar o caminho da minha história”, disse o aluno.