CEL

Professores poderão concorrer a bolsas de estudos no Japão em 2017

Educadores e gestores podem passar até um ano e meio no país com tudo pago

qua, 21.12.2016

Professores da rede interessados em aprofundar os conhecimentos na área da educação podem se inscrever para bolsas de treinamento oferecidos pelo Consulado Geral do Japão. São cursos nas áreas de administração escolar, método educacional, estudo de disciplinas específicas (como matemática, física, química e educação física) e atividades práticas escolares.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Para concorrer a uma das bolsas, o candidato deve ter 34 anos completos até o dia 1º de abril de 2017, curso de nível superior ou magistério, pelo menos 5 anos na função de professor de Ensino Fundamental ou Médio ou na área administrativa escolar e ter fluência em língua inglesa ou japonesa.

As inscrições estão previstas para ocorrer entre janeiro e fevereiro e devem ser feitas presencialmente no Consulado Geral do Japão ou via correio. Após a primeira etapa, os inscritos devem passar por duas etapas eliminatórias: uma prova escrita para testar os conhecimentos nas línguas inglesa e japonesa e uma entrevista presencial. A prova de japonês serve como nivelamento do curso de idiomas a ser feito nos primeiros seis meses.

A bolsa tem uma duração de um ano e meio e inclui bolsa-auxílio mensal, passagens e isenção das taxas escolares. O embarque está planejado para outubro de 2017.

Parcerias com o Japão

Parcerias entre a Educação do Estado e instituições japonesas não é novidade. Desde 2007, alunos do Ensino Fundamental matriculados em uma das 20 unidades que oferecem cursos de japonês nos Centros de Estudo de Línguas (CEL) podem participar do concurso Toyama. Parte do Festival de Arte e Cultura que acontece na Província de Toyama integra cultura, arte, teatro, dança e literatura em um mesmo lugar. Os desenhos dos estudantes selecionados integram a exposição.