Prevenção contra a Hepatite B

img_header_hepatiteb_620

Conheça os sintomas, as formas de transmissão e prevenção da doença que atinge cerca de 350 milhões de pessoas no mundo

Período de férias não significa apenas descanso. Aproveitar o tempo livre para cuidar da saúde pode livrar você de doenças futuras, prevenidas por meio da vacinação. Portanto, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo alerta seus alunos e todos os envolvidos na comunidade escolar sobre a importância da vacinação contra a Hepatite B.

Ela é a responsável por cerca de 600 mil mortes por ano, além de ser a principal causadora de câncer de fígado e cirrose. Estima-se que mais de 350 milhões de pessoas vivam com a forma crônica da doença sem saber.

“A maioria não sabe que a Hepatite B pode ser uma doença muito grave”, enfatiza a Dra. Helena Sato, diretora técnica da divisão de imunização da Secretaria da Saúde. A médica é uma das responsáveis pelo programa “Hepatite B – Informação e Vacinação para a Efetiva Prevenção”, uma parceria entre as secretarias da Educação e da Saúde para incentivar a prevenção da doença entre jovens e adolescentes.

Baixe aqui o material informativo e ilustrativo sobre a Hepatite B

Prevenir é melhor do que remediar

E qual é a melhor forma de prevenção? De acordo com a especialista, a vacina contra Hepatite B, que é gratuita na rede pública de saúde, chega a 95% de eficácia. “Para garantir a proteção é necessário tomar as três doses da vacina, que está disponível em todos os postos de saúde da cidade”.

Helena explica ainda que aqueles que já iniciaram o ciclo de doses não precisam recomeçar o processo. Nestes casos, é preciso apresentar a carteira de vacinação para comprovar que as doses iniciais foram tomadas e receber as que faltam.

Além da iniciativa para combater a Hepatite B, a parceria entre as secretarias da Educação e Saúde também prevê ações voltadas para a prevenção da Aids e da Dengue. “Toda prevenção depende de uma mudança de atitude que só a informação não é capaz de promover, por isso é preciso educar”, afirma Eleuza Guazzelli, uma das coordenadoras da iniciativa por parte da Secretaria de Educação.