sexta-feira, 26/08/2011
Últimas Notícias

3,5 mil alunos serão atendidos neste sábado (27/08) no último mutirão do programa Visão do Futuro

Estudantes da rede estadual na capital passarão por consultas oftalmológicas nas unidades de saúde conveniadas ao programa ?Neste sábado (27/08), será realizado o último mutirão do programa Visão do Futuro em 2011 voltado a alunos do Ensino Fundamental das escolas estaduais da capital. A estimativa é que 3,5 mil estudantes, com idades entre 6 e […]

Estudantes da rede estadual na capital passarão por consultas oftalmológicas nas unidades de saúde conveniadas ao programa ?Neste sábado (27/08), será realizado o último mutirão do programa Visão do Futuro em 2011 voltado a alunos do Ensino Fundamental das escolas estaduais da capital. A estimativa é que 3,5 mil estudantes, com idades entre 6 e 7 anos, passem por consultas oftalmológicas nas unidades de saúde conveniadas ao programa, que é desenvolvido pelo Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo (Fussesp) em parceria com as secretarias estaduais e municipais da Educação e da Saúde. Do total de estudantes que serão atendidos, 3,4 mil passarão por reavaliação. São crianças que foram diagnosticadas com problemas de visão no mutirão do ano passado, ganharam os óculos do programa e agora passarão por nova avaliação para verificar se houve alguma alteração do quadro. É o caso de Mayumi Sarmiento Leandro, aluna do 3º ano do Ensino Fundamental da Escola Estadual Província de Nagasaki, localizada na zona norte da capital. “Não sabia que minha filha tinha dificuldade para enxergar. Se ela não tivesse participado do mutirão a gente não teria descoberto o problema”, comentou a mãe de Mayumi, Betty Valéria Leandro Mamani. A estudante contou que antes não conseguia entender o que estava escrito na lousa. “Parecia que estava tudo ao contrário. Agora, com os óculos, melhorou bastante. As notas melhoraram também. Ficou mais fácil estudar”, contou. Todos os estudantes encaminhados para o mutirão passaram por testes de acuidade visual aplicados em sala de aula por professores habilitados. Na triagem, são selecionados os que apresentam dificuldades para leitura. Também são encaminhadas para as consultas as crianças que já usam óculos há mais de um ano. Após a avaliação, caso haja necessidade, elas recebem gratuitamente óculos fornecidos pelo programa. Durante todo o ano de 2011, os mutirões do programa beneficiaram mais de 20 mil estudantes de escolas estaduais. Mutirão No mutirão deste sábado, os alunos da rede estadual serão atendidos, das 8h às 17h, no Hospital Cema, na Mooca; na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, na Vila Buarque; na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), na Vila Mariana; no Instituto de Oftalmologia Tadeu Cvintal, no Ipiranga; no Instituto Suel Abujamra, na Aclimação; e no AME (Ambulatório Médico de Especialidades) Leste – Santa Marcelina, em Itaquera. Os alunos devem ir acompanhados dos pais ou responsáveis e apresentar a ficha de encaminhamento gerada pelo sistema Visão do Futuro da Secretaria de Estado da Educação. Os estudantes e seus pais terão transporte e lanche fornecidos pela Secretaria. Desde a triagem no serviço de saúde à consulta médica e à dispensa do aluno, o tempo médio de atendimento deve ser de três horas. Durante os mutirões, as crianças terão o apoio de educadores universitários do programa Escola da Família que desenvolverão atividades lúdicas e de orientação ao longo do percurso e na unidade de saúde. Sobre o programa Visão do Futuro Criado em 2009 pelo Fussesp em parceria com as secretarias estaduais e municipais da Educação e da Saúde, o programa Visão do Futuro é destinado à prevenção e à recuperação da saúde ocular dos alunos da rede pública. O objetivo é oferecer aos estudantes melhores condições de estudo e de qualidade de vida. Embora o programa seja destinado a alunos do 1º ano do Ensino Fundamental da rede estadual e municipal, com idades entre 6 e 7 anos, desde o ano passado, devido à mudança do Ensino Fundamental de oito para nove anos, também são atendidos estudantes do 2º ano. Somente em 2010, o programa beneficiou mais de 140 mil crianças.