sexta-feira, 11/05/2018
A Escola Que Queremos

#5ªCNIJMA: lista de delegados, professores e comissões organizadoras regionais

O cronograma da etapa estadual deve ser alterado em breve, devido a trâmites burocráticos

A lista contendo projetos de ação, respectivos delegados e delegadas, professores e representantes das Comissões Organizadoras Regionais que comporão as delegações regionais na Etapa Estadual da 5ª Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente está disponível. Para conferir o documento, clique aqui. Atenção! O cronograma da Etapa Estadual será alterado, devido a trâmites burocráticos. As novas datas e demais informações serão divulgadas em breve.

A divulgação da lista é um atendimento da Secretaria de Estado da Educação por meio da Coordenadoria de Gestão da Educação Básica (CGEB) e Centro de Ensino Fundamental Anos Finais, Ensino Médio e Educação Profissional (CEFAF) e da Comissão Organizadora Estadual (COE-SP) da V CNIJMA ao disposto no item 5.5.2 (págs. 14 a 18) do Regulamento Estadual, disponível aqui.

Clique nesse link e confira também um vídeo produzido pela COE-SP com fotos das Conferências das Escolas cujos projetos de ação foram selecionados.

As novas informações sobre o cronograma da Etapa Estadual serão divulgadas por meio dos canais oficiais de comunicação da Comissão Organizadora: Blog Oficial da COE-SP e Facebook da COE-SP. Para mais esclarecimentos, entrar em contato com a COE-SP pelo e-mail: vconferenciainfanto.sp@gmail.com.

No estado de São Paulo, as redes de ensino aderiram de forma significativa ao processo da 5ª CNIJMA. De acordo com o Ministério da Educação (MEC) e registros da Comissão Organizadora Estadual, 991 escolas de ensino fundamental – anos finais realizaram as conferências escolares nos meses de fevereiro e março. “Mas o mais legal é que tivemos um movimento muito expressivo das escolas de anos iniciais e médio de forma muito satisfatória. Então, apesar de ser focada em estudantes de 11 a 14 anos, outros segmentos também se envolveram no processo”, relata Andreia Cristina Barroso Cardoso, da Equipe Curricular de Geografia e Educação Ambiental do CEFAF/CGEB.

Escola do interior promoveu discussões sobre a preservação da Água, tema da V CNIJMA

A importância de se ter um olhar voltado para as questões ambientais está constantemente presente nos projetos pedagógicos das escolas estaduais de São Paulo. Com a 5ª Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, os alunos das unidades de Ensino Fundamental Anos Finais e Médio intensificaram estas discussões. A V CNIJMA acontece de 15 a 19 de junho e leva o tema “Vamos Cuidar do Brasil Cuidando das Águas”.

Com o intuito de participar da ação com força total, os estudantes da E.E. Zezinho Portugal, que fica na cidade de Guaíra e pertence à DE Barretos, deram início ao projeto “Preservar a água é preservar a vida”. O foco dos trabalhos está na despoluição do lago Maracá, localizado no centro da cidade.

A professora coordenadora pedagógica, Rogéria Cristina Feitosa da Silva, afirma que não faz muito tempo que a poluição tem afetado de forma tão negativa o lago. “Eu moro há 14 anos aqui e tenho notado esse lixo de uns 8 anos para cá, aproximadamente”, lembra a educadora. Ela explica que no início de 2018 Guaíra foi alvo de fortes chuvas que alagaram as vias mais próximas da região central e tornou o problema evidente, pois o lixo entupiu as redes pluviais do entorno.

Entre as atividades planejadas para acontecer ao longo do ano, estão as de diagnosticar a real situação referente à poluição do lago Maracá, em que estão responsáveis os alunos e os professores da área de Ciências da Natureza; coletar o lixo depositado em suas margens, armazenar e descartar corretamente o material coletado; calcular a quantidade de lixo descartado incorretamente para alertar a população; e analisar a qualidade da água que servirá para estudos teóricos em sala de aula e ampliação do conhecimento dos alunos.

Raissa Teixeira Ferreira, 13, cursa o 9ª ano na Zezinho Portugal. Escolhida para participar da 5ª CNIJMA, lembra que “a poluição foi chegando e as pessoas não faziam nada para colaborar. Aí juntou muito lixo, o que está dando um certo trabalho para limpar”, explica a aluna.

Outra representante da escola na 5ª CNIJMA, a Karolly Cardoso de Oliveira Veiga, de 14 anos, acredita que “de uma forma, ou outra, é uma grande chance que os alunos têm para se conscientizarem e ensinarem as pessoas”, diz.