quarta-feira, 16/05/2012
Imprensa

Alckmin inaugura primeira escola com certificação ambiental do país construída com verba pública

Desenvolvido pela Fundação para o Desenvolvimento da Educação, o modelo será utilizado em cerca de 200 novas construções de unidades da rede estadual de ensino até 2014 Secretaria da Educação investiu R$ 3,4 milhões na construção da Escola Estadual Ilha da Juventude, localizada na Vila Brasilândia Certificado ambiental é concedido a projetos arquitetônicos que seguem […]

Desenvolvido pela Fundação para o Desenvolvimento da Educação, o modelo será utilizado em cerca de 200 novas construções de unidades da rede estadual de ensino até 2014

Secretaria da Educação investiu R$ 3,4 milhões na construção da Escola Estadual Ilha da Juventude, localizada na Vila Brasilândia

Certificado ambiental é concedido a projetos arquitetônicos que seguem padrões de sustentabilidade, desde a concepção da obra até a utilização do prédio                                                                               

O governador Geraldo Alckmin inaugurou nesta quarta-feira (16/05) a primeira escola com certificação ambiental do país construída totalmente com verba pública. A Escola Estadual Ilha da Juventude, localizada na zona Norte da capital, obteve o certificado de Alta Qualidade Ambiental (AQUA) da Fundação Carlos Alberto Vanzolini. A certificação é concedida a projetos arquitetônicos que são exemplos de sustentabilidade, desde a concepção até o uso das instalações do prédio. O investimento da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo na unidade foi de R$ 3,4 milhões.

Projetado pela Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), o modelo será utilizado como padrão para a construção de todas as novas unidades da rede. Outros três projetos (duas na capital e uma em Itaquaquecetuba) também já receberam a certificação para o programa e concepção, e se encontram em fase de contratação da empresa para execução da obra. Até 2014, serão construídas neste formato cerca de 200 escolas em todo o Estado.

“A equipe de técnicos e demais servidores da FDE sentem-se imensamente engrandecidos por terem participado da construção da Escola Estadual Ilha da Juventude, primeiro estabelecimento de ensino do País a receber a certificação de alta qualidade ambiental da Fundação Vanzolini. Essencialmente sustentável e pioneiro, este projeto representa um grande avanço de qualidade arquitetônica e funcional na busca pela excelência em nossas edificações escolares”, declarou o presidente da FDE, José Bernardo Ortiz.

Primeiro referencial brasileiro para construções sustentáveis, a certificação AQUA foi desenvolvida com base no selo francês HQE (Haute Qualité Environnementale), por meio de convênio internacional entre as instituições. A qualificação é fundamentada em uma série de requisitos, que levam em consideração aspectos como economia de água e energia, disposição adequada de resíduos e baixo impacto ambiental em todas as fases da obra, além de níveis de conforto e soluções arquitetônicas projetadas com foco na saúde dos alunos. O certificado é concedido ao final de cada etapa do empreendimento (programa, concepção e realização) e a auditoria é feita pela própria Fundação Vanzolini, que é gerida por professores do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

A construção da Escola Estadual Ilha da Juventude teve início em agosto de 2010 e foi concluída em março de 2012. O prédio conta com 15 salas, sendo 12 de aula, uma de leitura, uma de informática e uma de uso múltiplo, além dos ambientes administrativos e de vivência, como cozinha, sanitário acessível, elevador e quadra coberta, entre outros. A unidade iniciou suas atividades em fevereiro deste ano e atualmente atende cerca de mil estudantes do Ensino Médio, regular e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Cada detalhe do projeto foi pensado com foco na sustentabilidade, desde os materiais e processos adotados para a construção do edifício, passando pela gestão de resíduos, pelo uso racional de água e energia elétrica, até a adoção de sistemas alternativos como a captação e reaproveitamento da água das chuvas e o aquecimento solar da água. Dentro do prédio, a preocupação foi criar um espaço sadio e confortável. Para isso, foram considerados aspectos como conforto térmico, iluminação natural e tratamento acústico.

“A escola tem um papel importante na educação ambiental da sociedade. Para professores e alunos, na prática, a certificação proporcionará um contato mais próximo com a questão da sustentabilidade no próprio ambiente escolar. O fato de estar dentro de um prédio sustentável permitirá ações pedagógicas mais efetivas e também despertará maior interesse e conscientização dos estudantes e da comunidade local, reforçando o comprometimento com o Meio Ambiente”, disse o secretário da Educação, professor Herman Voorwald.

Economia

Além das questões relacionadas à sustentabilidade, foram adotadas soluções para facilitar as rotinas de conservação e manutenção do edifício, assim como obter maior economia no consumo de água e energia. Isso foi possível graças à adoção de equipamentos mais eficientes e um melhor gerenciamento de instalações.

Em cada sala de aula, por exemplo, é possível apagar as luzes próximas às janelas, aproveitando a luz solar, e mantendo as mais afastadas acesas. A água quente que abastece a cozinha, a cantina e os chuveiros dos funcionários é aquecida por energia solar. As torneiras dos banheiros são equipadas com mecanismo de acionamento manual e ciclo de fechamento automático, que evita o desperdício. Já a água captada da chuva será utilizada na descarga dos sanitários.

Pela economia e eficiência energéticas, a Escola Estadual Ilha da Juventude deve receber ainda o selo do PROCEL Edifica (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica), a ser adotado como uma das metas do compromisso assumido pelo Estado de São Paulo em reduzir 20% a emissão de carbono até 2020. O selo atesta a eficiência energética em edificações e é concedido em dois momentos: na fase de projeto e após a construção do edifício.