quinta-feira, 21/06/2018
Foto divulgação
Boas Práticas

Alunas são empoderadas em São José do Rio Preto

“Garotas Brilhantes” trabalha a inclusão social das meninas da EE Oscar de Barros Serra Doria

Muito se ouve falar no empoderamento feminino, mas poucas pessoas sabem, de fato, o que isso significa. Trata-se do ato de conceder o poder de participação social às mulheres, garantindo que tenham a consciência sobre a luta pelos seus direitos. Na EE Oscar de Barros Serra Doria, há quatro anos, existe o projeto “Garotas Brilhantes”, justamente para ensinar as estudantes sobre a importância de ser fortalecida socialmente.

“Foi assim, uma professora eventual, na época, chamada Edna, sentiu nas aulas a dificuldade das meninas, como autoestima e gravidez na adolescência, e então levou o assunto para a Adras – Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais, que entrou em contato com a escola para iniciar o projeto. Foi assim que nasceu a parceria”, conta Eliana Perpétua de Carvalho, vice-diretora da escola.

O objetivo do “Garotas Brilhantes” é intervir socialmente e levar oportunidades para o fortalecimento familiar e comunitário de adolescentes da comunidade de baixa renda que estudam na escola. Diante da realidade brasileira e local, a cada dia aumenta o número de adolescentes grávidas, por exemplo, que interrompem etapas na formação educacional e profissional.

O trabalho prevê palestras com temas de combate à gravidez na adolescência, auto estima, empoderamento feminino e tem, também, oficinas que ensinam gastronomia e confeitaria, por exemplo. Além disso, as participantes são encaminhadas a estágios remunerados, onde podem desenvolver uma vocação profissional. “Inclusive, uma ex-aluna nossa está trabalhando na Câmara municipal da cidade, na equipe de uma vereadora que veio aqui dar palestra”, afirma a vice-diretora.

Nesse contexto, essas meninas assumem uma nova função e um novo papel com condições psicológicas, emocionais e financeiras adequadas para que todos os componentes familiares possam viver com dignidade e qualidade de vida.

“E a mudança é perceptível”, comemora Eliana. Segundo a educadora, as meninas adquirem consciência de que estudar é melhor. “Se ela quer ser independente precisa estudar, precisa conseguir um trabalho. Se não estudar, as chances de ser submissa ao companheiro é maior. E as palestras falam muito sobre isso”, explica.

“Olha, mudou muita coisa da minha vida, tipo o meu comportamento. A maneira de eu me vestir de acordo com o ambiente, a forma que tenho que me portar em uma entrevista, que tipo de maquiagem vou usar”, esclarece Aline dos Reis Anaya, 17, matriculada e frequentadora do 3º ano do Ensino Médio.

E, segundo a aluna, “empoderamento é mostrar que você é uma mulher preparada para todos os momentos. Eu acho que é importante a mulher conquistar posições sociais, e o projeto ajuda com isso.  Com o “Garotas Brilhantes” a gente entende aonde podemos chegar, e ele nos ensina também a nunca desistir”, conclui Aline.

Os garotos da unidade escolar cobram a diretoria para que algo relacionado seja feito com eles também. No entanto, a escola não encontra condições para espelhar a iniciativa. Mas, Eliani acredita que a mulher tem o poder de transformar o homem, e isso pode ser um fator decisivo na construção da cidadania dentro e fora dos muros da EE Oscar de Barros Serra Doria.

“A partir do momento que ela começa a frequentar o projeto assiduamente, o retorno para a escola é gratificante. A gente acredita na transformação da mulher e que ela tem condições de transformar o namorado, por exemplo. E foi por isso que a gente começou com as meninas… A mulher muda a cabeça do homem”, fala Eliana, aos risos.