sexta-feira, 15/12/2017
Divulgação
A Escola Que Queremos

Alunos aprendem a usar celular de forma consciente

Pesquisa elaborada por alunos da E.E. Fernando Nobre, de Cotia, aponta 36 malefícios causados à saúde por causa do aparelho

Na E.E. Fernando Nobre, em Cotia, o professor de Biologia Marcos Antonio decidiu orientar seus alunos em uma pesquisa sobre os benefícios e o uso inadequado do celular. A ideia surgiu após o educador observar, em sala de aula, que alguns educandos chegavam sonolentos no período da manhã. Assim, pesquisou se o uso excessivo do aparelho prejudica a saúde humana. O processo serviu, também, para relacionar a prática a alguns problemas que a sociedade vem enfrentando.

Foram várias etapas, que começaram com uma profunda pesquisa sobre o tema na sala de informática. Depois, os alunos desenvolveram slides no PowerPoint e apresentaram o trabalho para outras salas na própria escola. Segundo Marcos Antonio, “os alunos aprenderam diversas lições, como, por exemplo, fazer uso consciente das tecnologias”, enfatiza.

“Efetivamente, a gente percebeu que os alunos usavam o aparelho para dois aplicativos, de forma geral. Com o projeto, passaram a usar o celular na sala de aula apenas para pesquisas relacionadas à matéria”, diz o professor Marcos. Ele acrescenta que “a consciência deles [alunos] mudou. Entre eles, era comum atender ou usar o telefone enquanto o mesmo estava sendo carregado, e hoje não o fazem mais. Não passam muito tempo digitando, para evitar problemas como tendinite. Alguns até começaram a usar o fone durante as chamadas de voz, assim inibem os malefícios da radiação da bateria no cérebro, que causa câncer”, explica o orientador.

Esse trabalho surgiu a partir de uma pergunta. O professor Marcos Antonio percebeu a sonolência de uma parte dos alunos, logo pela manhã, e comparou com outros que já estavam despertos. Foi então que, durante uma reunião de pais e mestres, ele perguntou se os pais sabiam dizer os motivos de seus filhos terem tanto sono. A resposta foi quase que ensaiada, quando todos responderam que era referente ao uso de celular durante a noite, vez ou outra pela madrugada inteira. As crianças e adolescentes preferiam passar horas jogando ao invés de priorizar o descanso.

Como resultado da pesquisa, foram identificados oito benefícios sobre o uso do celular, contra a incrível marca de 36 malefícios, que na lista tem práticas comuns, como incêndios provocados enquanto o aparelho está conectado à tomada para carregar a bateria, selfies perigosas, tiradas segundos antes de acontecer algum acidente provocado pela distração e a junção do celular e o volante de um automóvel, além de problemas de saúde, como tendinite, perdas auditiva e visual e a nomofobia, termo utilizado para definir o medo de ficar sem celular.

O trabalho foi apresentado na PUC (pontifícia Universida Católica), durante o Web Currículo, um encontro anual onde pessoas de todo o mundo apresentam suas experiências em sala de aula. Os alunos e o orientador participaram para contar a experiência, falar como foi feito o trabalho e o que mudou na vida deles.

O trabalho foi exposto na Feira de Ciências da DE Carapicuíba e, por fim, os aluno fizeram uma apresentação para o Secretário José Renato Nalini, durante um ato solene que marcou a reforma da unidade e de mais oito escolas da região.