sexta-feira, 16/05/2014
Pais e Alunos

Alunos da rede estadual participam de mais um mutirão da visão neste sábado (17)

Já foram distribuídos nos dois últimos anos 7.000 pares de óculos a estudantes paulistanos

Amanhã (17), o programa Visão do Futuro realizará mais um mutirão para atender cerca de cinco mil alunos de escolas estaduais localizadas na capital. Por meio do projeto, que tem como foco a prevenção e a recuperação da saúde ocular das crianças, já foram distribuídos nos dois últimos anos 7.000 pares de óculos a estudantes paulistanos. A ação é realizada em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

A edição deste sábado acontece em sete espaços de saúde distribuídos na capital de São Paulo. Serão examinados alunos de 6 e 7 anos que passaram, anteriormente, por triagem realizada em 235 escolas de 13 Diretorias de Ensino da capital que oferecem o 1º ano do Ensino Fundamental.

Confira aqui os locais de consultas

A triagem feita em sala de aula foi possível graças à capacitação que os professores recebem para realizar testes de acuidade visual nas crianças e, assim, encaminhar para exames com especialistas aqueles que demonstram dificuldades, sinais ou sintomas.

No mês de abril, outros 3.318 passaram por consultas na primeira avaliação do projeto realizada neste ano. Ao longo dos últimos dois anos, a Secretaria encaminhou 33.096 alunos para a avaliação oftalmológica. Apenas no ano passado um a cada cinco alunos do 1º ano do Ensino Fundamental foram encaminhados para as consultas – um total de 18.048. Aos estudantes e responsáveis está garantido o transporte até o serviço de saúde, além de lanche, consulta e acompanhamento ambulatorial, se necessário.

“A ação previne e elimina dificuldades de aprendizado por conta de eventuais deficiências visuais desconhecidas pelas crianças e pelos próprios responsáveis. Com o mutirão do Visão do Futuro e a distribuição dos óculos, nossos alunos estão visualmente saudáveis e os professores acompanham a melhora do rendimento deles em sala de aula”, afirma o secretário da Educação, professor Herman Voorwald.