sexta-feira, 16/10/2015
Boas Práticas

Professora simula supermercado para alunos testarem conhecimentos matemáticos

Estudantes aprendem questões de cálculos com a experiência de fazer compras

Quanto terei que gastar esse mês no mercado? Essa pergunta simples e que está presente no cotidiano dos pais e mães do Brasil agora também está semanalmente na ponta da língua dos alunos da E.E. Professora Dulce Leite da Silva, em São Paulo.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Com o objetivo de melhorar o resultado dos estudantes em Matemática, a coordenadora do Ensino Fundamental, Claudia Rodrigues, desenvolveu um “mercadinho” fictício, no qual os alunos têm a experiência de aprender a controlar suas finanças por meio de compras. “Esse projeto acontece em nossa escola há uns três anos. Foi algo que partiu da necessidade de trabalhar a Matemática de forma lúdica, visando a melhora já que nossos índices na disciplina, na época, estavam baixos”, afirma Claudia.

Para simular o comércio, os alunos trazem de casa embalagens vazias de produtos que são encontrados no mercado, como detergentes e sabão em pó, e os professores, na lousa da sala de aula, colam figuras que representam os alimentos. Abaixo dos produtos, vem os preços.

Com o mercado pronto, professores separam os estudantes em pequenos grupos e dão a eles uma lista com principais produtos que devem ser comprados. A partir daí os alunos, com dinheiro fictício, fazem os cálculos de quanto podem “gastar” no mercado.

Entre os pequenos economistas, a iniciativa é um sucesso. “A gente aprendeu a matemática de maneira mais rápida com essa aula”, conta o aluno Gabriel dos Santos de Carvalho.

“Eu gosto bastante do mercadinho, aprendo muita coisa com relação à matemática”, afirma Maria Eduarda, aluna da escola.

Ambiente “matematizador”

Além do mercadinho, a escola montou um ambiente “matematizador” em uma sala de aula, onde os alunos podem aprender a disciplina de forma lúdica e atrativa com outras atividades, como jogos de dominó, por exemplo.

“Tínhamos uma sala de aula ociosa aqui. Usamos esse espaço para fazer esse ambiente, e isso ajudou muito na melhora dos alunos na disciplina”, revela a coordenadora.

Educação Financeira na rede estadual

Dicas sobre organização das finanças domésticas e orientações de como poupar dinheiro, já fazem parte das aulas de matemática de 20 unidades escolares de São Paulo. Além das aulas teóricas, os professores mostram como fazer na prática. Já os alunos aprendem a controlar os gastos com lanches, cinema, festa, mesada e até como eles podem, ainda, contribuir para melhorar a renda familiar. Saiba mais aqui.