quinta-feira, 02/07/2020
Coronavírus

Aulão virtual engaja alunos da zona leste da capital

No primeiro encontro mais de 100 estudantes se reuniram online para debater sobre o racismo

As escolas estaduais continuam com as aulas remotas, mas além do conteúdo oferecido pelo Centro de Mídias SP (CMSP), as unidades tem elaborado aulas especiais levando em consideração a realidade da comunidade em que está inserida. Na escola estadual Aquilino Ribeiro, na zona leste de São Paulo, por exemplo, alunos dos anos finais (6º a 9º ano) do ensino fundamental e do ensino médio tem se reunido virtualmente para debater temas multidisciplinares.

O próximo encontro será nesta sexta-feira (3/7) e abordará o assunto Projeto de Vida com o convidado Matheus Goveia, jogador de futebol com passagens pelo Corinthians e Portuguesa e que agora trabalha como técnico e recrutador da Universidade Southwestern Christian, nos Estados Unidos.

A professora Marli Bezerra, uma das articuladoras do projeto, explicou a escolha do tema, “Tendo em vista a disciplina Projeto de Vida, onde trabalhamos os sonhos e as habilidades socioemocionais dos alunos, ter um jogador profissional de futebol atrai vários jovens a fim de aprender e trocar experiências. Os alunos estão ansiosos desde já”.

A primeira aula contou com a participação de mais 100 estudantes que puderam debater com convidados e professores sobre racismo. A aluna Mayara Pereira da 1ª série do ensino médio aprovou o modelo, “Achei incrível, me acrescentou mais conhecimento diante desse tema, eu nunca tive uma aula tão boa assim”. O estudante Eduardo Cruz do 9º ano do ensino fundamental também gostou da discussão proposta. “Foi muito bom. Você ouve as opiniões dos colegas e acaba mudando o seu ponto de vista com relação a vários assuntos”.

Segundo a coordenadora pedagógica da unidade, Michelle Pine, o ensino à distância trouxe desafios, mas a equipe da escola tem os superado, “Os obstáculos surgiram, porém, a equipe pedagógica, de modo geral, está se reinventando, buscando formações, tutoriais, aplicativos diversificados e gratuitos para melhor atender os alunos”, afirmou.