sexta-feira, 19/08/2011
CEL

Centros de Estudos de Língua são portas de acesso para culturas de outros países

Estudantes falam sobre a importância do aprendizado de um segundo idioma Na última sexta-feira, dia 19 de agosto, a rede estadual passou a contar com 142 novos Centros de Estudos de Línguas, totalizando 248 unidades em todo Estado. Os CELs, como são chamados, ofertam idiomas como francês, alemão, espanhol e japonês, mas vão além do […]

Estudantes falam sobre a importância do aprendizado de um segundo idioma

Na última sexta-feira, dia 19 de agosto, a rede estadual passou a contar com 142 novos Centros de Estudos de Línguas, totalizando 248 unidades em todo Estado. Os CELs, como são chamados, ofertam idiomas como francês, alemão, espanhol e japonês, mas vão além do aprendizado da língua: são uma porta de acesso à cultura de diferentes países, que ajudam os alunos da rede a construírem sua visão de mundo e a se prepararem para o mercado de trabalho.

Para a aluna Camila Naomi Mizumoto, que cursa o primeiro ano de japonês, estudar um novo idioma ajudou a expandir os horizontes na hora de planejar o futuro. “O meu objetivo é terminar o curso e ir para o Japão fazer um intercâmbio”, revela.

Apesar dos planos de morar fora do Brasil, Camila não deixa de pensar na importância de aprender novos idiomas para sua carreira no País. “Quando você sabe outras línguas, você tem mais chances de conseguir um bom emprego”, afirma.

A meta de conhecer outros países é compartilhada também pelo aluno Gustavo Germiniani, que estuda espanhol no Centro de Línguas e pretende visitar a Espanha e o Chile. O estudante dedica algumas horas para o estudo do idioma, além das horas de aula que tem na escola.

“Assisto a filmes e ouço músicas em espanhol para treinar. Hoje já consigo compreender o filme todo sem a ajuda de legendas”, conta.

Inscrições

A partir do dia 22 de agosto, o estudante interessado em cursar algum idioma nos novos CELs já poderá se inscrever.

Os cursos estão abertos para alunos a partir do 7º ano do Ensino Fundamental, que devem procurar uma escola que mantenha um centro. Apenas o atestado de matrícula é solicitado na hora da inscrição. De acordo com a professora Danúbia de Oliveira Ricardo, coordenadora do CEL da Escola Estadual Alexandre de Gusmão, em São Paulo, um dos maiores interesses dos alunos são as possibilidades de crescimento profissional.

“Os alunos que cursam idiomas nos Centros de Línguas buscam mais oportunidades de trabalho. Nossos alunos saem daqui fluentes e, por isso, são mais competitivos”, conta.

A professora explica que a metodologia de ensino voltada para a fluência torna as aulas dinâmicas e atrativas. “As aulas são expositivas, sempre com ênfase na conversação e na compreensão”, afirma. A importância do segundo idioma para o aluno que deseja ingressar no mercado de trabalho foi um dos pontos destacados pelo secretário da Educação, Herman Voorwald.

“Hoje as empresas procuram jovens que tenham múltiplas habilidades e o idioma é uma delas”. Durante o anúncio da expansão do programa, o secretário também afirmou que a Pasta pretende fechar um convênio com o Ministério da Educação da China para a implantação do Mandarim nos CELs da rede estadual de São Paulo.