quinta-feira, 17/05/2012
Últimas Notícias

Classes Hospitalares: Continuar estudando motiva alunos em tratamento

Cerca de 500 estudantes passam todos os meses pelas Classes Hospitalares mantidas dentro de hospitais. Ação permite que os jovens continuem aprendendo mesmo durante a internação Continuar estudando mesmo durante a internação em um hospital evita a defasagem e, ao mesmo tempo, incentiva o aluno em seu tratamento. Essa é mensagem passada pela professora Andréia […]

Cerca de 500 estudantes passam todos os meses pelas Classes Hospitalares mantidas dentro de hospitais. Ação permite que os jovens continuem aprendendo mesmo durante a internação

Continuar estudando mesmo durante a internação em um hospital evita a defasagem e, ao mesmo tempo, incentiva o aluno em seu tratamento. Essa é mensagem passada pela professora Andréia Alves de Oliveira revelam, que revelam o otimismo e a certeza de estar fazendo um trabalho de extrema importância. Andréia é professora da E.E. Adolfo Trípoli, na zona sul de São Paulo, mas exerce sua função de educadora na Classe Hospitalar do Hospital Infantil Darcy Vargas, na área da Oncologia.

“O tratamento da criança envolve muita gente e nós temos um papel também de motivá-la a continuar”, afirma. A classe que Andréia comanda é uma das 52 mantidas pelas Secretarias da Educação em parceria com a Secretaria da Saúde, em hospitais de todo o Estado, por onde passam cerca de 500 crianças por mês. Apenas no Hospital Infantil Darcy Vargas, em pouco mais de 15 anos, o programa já atendeu 75 mil estudantes.

“A Classe Hospitalar é destinada para aquelas crianças que estão internadas, afastadas da escola e do seu convívio social, e que precisam de escolarização nesse período”, explica Denise Arantes, técnica do Núcleo de Apoio Pedagógico Especializado. Para que o atendimento durante a internação seja adequado, as professora avaliam o conhecimento dos estudantes e começam seu trabalho a partir desse resultado.

O contato direto com a escola de origem também permite que a criança, assim que termine o tratamento, possa acompanhar seus colegas. “Eles nos contam que, ao voltar para a escola, que a professora elogiou o aprendizado que eles tiveram aqui. Assim, eles têm a oportunidade de voltar pasa a sala de aula e acompanhar os amigos”, conta Andréia.

Mais importante do que os resultados que a ação apresenta na área pedagógica, são os benefícios que as atividades podem trazer aos pequenos. “Nós obervamos que essa ação vem ajudar na recuperação de muitos casos. As crianças são motivadas e descobrem outras atividades”, revela o Dr. Vagner Nelo, diretor técnico do Hospital Infantil Darcy Vargas.