quinta-feira, 28/10/2021
Notícia

Dia do Servidor Público: Conheça histórias de funcionários da Educação de SP

Secretaria da Educação do Estado de São Paulo possui mais de 244 mil profissionais

O Dia do Servidor Público é celebrado nesta quinta-feira, 28 de outubro. Na Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) são mais de 244 mil profissionais trabalhando em prol da Educação. São professores, diretores, agentes de organização escolar (AOE), executivos públicos, entre outros buscando um ensino público de qualidade para todos. Confira algumas dessas histórias:

José Luis da Costa- Agente de Organização Escolar

 

Nascido em Aparecida do Norte, José Luis da Costa é servidor no Estado de São Paulo desde 1992. Inicialmente trabalhou nas escolas Emilio Amadei Beringhs, Marlene Miranda e Conego José Luis, antes unidade estaduais que se tornaram escolas municipais de Taubaté.  Há 20 anos ele presta serviços da educação na Escola Estadual Professor Cesidio Ambrogi.

“Logo no começo da minha profissão tinha um aluno do terceiro ano (anos iniciais), chamado Mateus, ele tinha perdido a mãe e estava muito revoltado, se comportando muito mal na escola. Eu conversei com ele, explicando que este não era o rumo que a própria mãe iria querer para ele. E após 20 anos ele apareceu para falar comigo, agradecer e dizer que se formou em Educação Física”, relembra.

Fora da escola, José Luis é atleta e compete em prova de fundo (400 e 800 metros) representando a cidade de Taubaté em torneios nacionais e internacionais na categoria master de atletismo e já foi campeão brasileiro.

“O mais gratificante, embora eu não seja professor, é me sentir como um educador.  Conversando com alunos nós conseguimos passar coisas importantes para sua cidadania e seu futuro”, finaliza.

Marcos Aparecido Barros de Lima – Coordenador da Coordenadoria de Informação, Tecnologia, Evidências e Matrícula

 

Agente de Organização Escolar efetivo, Marcos Aparecido entrou na Secretaria da Educação em 2006 e fazia parte da equipe de suporte técnico, que atendia a antiga Coordenadoria COGSP, antes da reestruturação da Secretaria. Após 14 anos, em 2020 se tornou o Coordenador da Coordenadoria de Informação, Tecnologia, Evidências e Matrícula (CITEM)

”Passei por várias atividades especiais pela Seduc-SP, como implantação do Acessa Escola e implantação da SED, porém coordenar a implantação tecnológica do Centro de Mídias de São Paulo foi o meu maior desafio, pois era um momento novo para toda a rede, uma pandemia, mas com muita dedicação e uma equipe muito competente nos apoiando, conseguimos criar algo que não é utilizado somente no momento de pandemia, mas vai apoiar nossos professores e alunos nesse momento pós pandemia, além de toda a aquisição de equipamentos e aumento de internet que estão em andamento para todas as unidades escolares”, avalia.

Fora da escola, Marcos também é produtor de vídeos para o Youtube, no canal Marcos Barros Lima, em que ensina o uso de ferramentas tecnológicas, como um tutorial para quem está começando a aprender.

Jucilene Araújo – Diretora da Escola Estadual Heckel Tavares

 

Jucilene Araújo faz parte da rede estadual há 26 anos e desde 2018 é diretora da Escola Estadual Heckel Tavares e durante a pandemia chegou a buscar alunos de porta em porta na comunidade Terra Prometida, na região do Jardim Helena. Quando chove muito, o rio Tietê chega a transbordar e os moradores têm que se abrigar na escola, como chegou a acontecer por uma semana logo antes de a pandemia começar, em fevereiro de 2020.

No dia do servidor ela relembra de um caso que dividiu com outra colega. “Eu tinha uma aluna no ensino fundamental que não evoluia na escola e lidava com questões suicidas. Após um trabalho junto à professora Dilma, foi descoberto que essa aluna sofria violência sexual. Nós a acolhemos e ela tomou coragem para denunciar. Ela se mudou, mas eu ainda converso com ela, inclusive sei que mesmo durante a pandemia ela continuou estudando e irá se formar no ensino médio e também está trabalhando. Consigo ver que essa jovem hoje se reconhece como pessoa, sabe qual o seu valor”, conta. “Esse foi um trabalho que mostra a força dos servidores públicos, nunca vou esquecer, e isso não teria sido possível sem o trabalho da professora Dilma”, finaliza.

Fora da escola Jucilene foi uma das vítimas da Covid-19 e ficou durante 21 dias internada. Agora recuperada ela foi homenageada neste mês com a Medalha MMDC Caetano de Campos, maior honraria concedida pelo Estado de São Paulo na área da Educação.