sexta-feira, 22/12/2017
A2img/Mastrangelo Reino
Boas Práticas

Educação desenvolve ações para combate a conflitos nas escolas

Equipes escolares adotam o diálogo e a empatia como conteúdo a ser ensinado e estimulado nas unidades escolares

Na contramão de atitudes de violência dentro de instituições de ensino, professores e alunos, de São Paulo, se mobilizam para disseminar atitudes de boa convivência. Projetos desenvolvidos pelos grêmios estudantis, equipes pedagógicas e grupos de voluntários têm transformado os relacionamentos dentro da comunidade escolar e criado ambientes mais saudáveis.

A solução encontrada na Escola Estadual Maria Aparecida Sales Manreza, em Pedregulho, foi integrar os jovens por meio de rodas de conversa. Nos encontros, liderados pelo Grêmio Estudantil, os alunos apresentam os principais questões de convivência percebidas durante as aulas e planejam ações para resolvê-las. Dessa experiência nasceu o “Projeto da Paz” que incentiva a interação com os colegas mais retraídos, e também o hábito de sempre procurar os professores  para conversar quando um problema surge. O trabalho tem tido excelentes resultados ajudando a amenizar o bullying  e diminuir da taxa de evasão na unidade.

Na Escola Estadual Educador Pedro Cia, em Santo André, 44 alunos formaram o Clube do Voluntariado com o intuito de fazer visitas e campanhas solidárias para asilos e orfanatos. A diretora Cleide Mara Dalla Torres explica que a empatia e o cuidado com o próximo são ensinados primeiro dentro da sala de aula. “Nós orientamos os jovens a se respeitarem e a colaborarem uns com os outros. Depois que essa sensibilidade é aguçada expandimos as ações para fora dos muros da escola”, conta a diretora.

Professor Mediador

Em 2010 a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo instaurou a função do Professor Mediador. Esse profissional é capacitado para o acompanhamento de atividades restaurativas e de promoção da cultura de paz no ambiente escolar e soma essas funções com a sua disciplina da grade regular.

Desde 2012, 52 mil profissionais da Educação passaram por formações oferecidas pela EFAP (Escola de Formação e Aprimoramento dos Professores do Estado) sobre Mediação de Conflitos e Cultura de Paz. As capacitações contribuíram para um decréscimo de 35% no número de atos violentos nas escolas da rede estadual, de 270, registrados em 2014, para 175, em 2016. Casos de agressão física também diminuíram em 47%, de 3.641 para 1.923 e os de agressão verbal, de 1.738 para 1.021 casos, cerca de 41%.