sexta-feira, 19/04/2013
Educação Indígena

Dia do Índio: conheça o universo da Educação Indígena no Estado de São Paulo

Número de professores indígenas atuando no Estado cresceu 34% de 2012 para 2013

No Brasil existem hoje cerca de 817 mil indígenas, em 688 aldeias. No universo da Secretaria da Educação, para atender 1371 alunos presentes nas 34 escolas indígenas da rede estadual, há cerca de 230 professores indígenas trabalhando em salas de aula.

O cenário da Educação Escolar Indígena no Estado tem demonstrado crescimento ao longo dos anos. De 2012 para 2013, o número de professores indígenas atuando no Estado cresceu 34% e as salas de aula ganharam mais de 270 estudantes.

Para atender alunos, professores e comunidade escolar, a Secretaria da Educação mantém, desde 1997, o Núcleo de Educação Indígena. O intuito é recuperar as memórias históricas indígenas, reafirmar suas identidades étnicas e valorizar línguas e ciências. Atualmente, os descendentes de povos indígenas atendidos são das etnias guarani, tupi-guarani, terena, kaingang e krenak.

Nas classes indígenas, os estudantes têm acesso a todas as áreas de conhecimento do currículo escolar. As matérias, porém, são abordadas a partir da cultura de cada tribo e para isso são ministradas por professores das próprias aldeias. Assim, além dos temas do currículo convencional, os alunos também estudam questões relacionadas à sua cultura.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Em salas de aula, os docentes abordam a importância do fortalecimento da história e da tradição dos povos indígenas. As escolas indígenas do Estado oferecem Educação Básica, que compreende a Educação Infantil e o Ensino Fundamental, que está dividido em anos iniciais e anos finais, além do Ensino Médio.

As unidades estão distribuídas nas regiões das diretorias de ensino de Bauru, Caraguatatuba, Itararé, Miracatu, Penápolis, Registro, Santos, São Paulo (diretorias Norte 1 e Sul 3), São Vicente e Tupã. Quer saber mais sobre esse universo?

Confira no nosso canal do Youtube os vídeos gravados em aldeias indígenas espalhadas pelo Estado de São Paulo.