quinta-feira, 05/02/2015
Releases

Educação oferece cardápio especial para aluno com restrição alimentar

Estudantes com intolerâncias e alergias diversas devem comunicar escolas para receber merenda adequada A Secretaria da Educação do Estado abriu um cadastro para alunos da rede que apresentam restrição alimentar. Eles podem ter à disposição um cardápio servido na merenda escolar e adaptado pela equipe de nutricionistas da rede. Para o ano de 2015,  Secretaria […]

Estudantes com intolerâncias e alergias diversas devem comunicar escolas para receber merenda adequada

A Secretaria da Educação do Estado abriu um cadastro para alunos da rede que apresentam restrição alimentar. Eles podem ter à disposição um cardápio servido na merenda escolar e adaptado pela equipe de nutricionistas da rede. Para o ano de 2015,  Secretaria solicita aos pais ou responsáveis que informem nas próprias unidades de ensino a necessidade de receber a dieta compatível a intolerância à lactose ou glúten, hipertensão, alergias diversas e diabetes.

A informação sobre a condição alimentar pode ser feita na secretaria escolar ou na diretoria da unidade de ensino. A partir desses dados, o Departamento de Alimentação e Assistência da Secretaria traça um cardápio que atende às necessidades de cada patologia. As sugestões são enviadas às escolas e seguidas pela equipe de gestores e merendeiras das unidades.

Além disso, os profissionais de nutrição fazem visitas periódicas às escolas e acompanham de perto a evolução desses alunos. A proposta é minimizar as possíveis reações causadas por uma dieta inadequada. 

Segundo o Departamento de Alimentação,  auxiliar na melhora do quadro de saúde dos alunos com necessidades nutricionais específicas e fazer o acompanhamento são os objetivos do cadastro.

         “A alimentação saudável é um hábito que melhora a qualidade de vida do aluno dentro e fora da escola. Por isso, as unidades de ensino recebem produtos elaborados com baixo teor de sódio, de gordura e ricos em vitaminais. Os profissionais que trabalham na manipulação dos alimentos também recebem treinamento específico”, afirma o secretário a Educação, professor Herman Voorwald.

Além disso, faz parte do cronograma de atividades das 2,3 mil unidades de ensino que integram o Programa Escola da Família atividades gratuitas e abertas à comunidade que trabalham, por exemplo, a importância das atividades físicas e da escolha saudável dos produtos alimentícios.