terça-feira, 18/02/2014
Sociedade

Grafite estimula alunos e incentiva convivência entre escolas e comunidade

Expressão artística faz parte do conteúdo do currículo de Arte no caderno do professor da rede

O grafite, uma manifestação artística pública, que mistura cores, formatos e temas, é considerado um aliado da educação paulista. Além de incentivar a convivência entre alunos, escola e comunidade, os projetos desenvolvidos auxiliam na preservação do patrimônio público e no processo de conscientização dos estudantes e dos moradores do entorno das escolas.

Levantamento inédito da Educação mostra que ao menos 100 escolas estaduais, de 40 Diretorias Regionais de Ensino diferentes (44% das 91 administrações existentes em São Paulo), têm o muro grafitado, a maior parte dos trabalhos realizada pelos estudantes da rede estadual de ensino. Nestas unidades, a expressão artística já saiu dos livros didáticos e é utilizada para fortalecer o elo entre a comunidade e a escola.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Em 2013, por exemplo, quando o perfil da Educação no Facebook atingiu a marca de 60 mil seguidores, o professor de arte Jessé Brito Nascimento, da E.E. Condomínio Residencial Village, em Itaquaquecetuba, produziu um painel de grafite, homenageando todos aqueles que curtiram a página na rede social. Jackson Andrade de Oliveira e Marco Diego Teles Monteiro, alunos do Ensino Fundamental da unidade onde o professor leciona, contribuíram com a produção. Os estudantes aprenderam a grafitar com Jessé e já pintaram outros muros da escola.

Parte do currículo

O tema, inclusive, faz parte do currículo de Arte das escolas estaduais. Ele é um dos tópicos do Caderno do Professor, material didático que subsidia os docentes da disciplina de Arte a oferecer o conteúdo aos alunos da 1ª série do Ensino Médio. Além do grafite, também faz parte do currículo o Hip Hop. O conteúdo didático, entre outros temas, fala sobre a importância de se contemplar em sala de aula as diferentes linguagens artísticas.

“Por meio do grafite, estudantes e comunidade escolar podem dialogar com a cidade, expressar ideias, sentimentos e pensamentos, um ganho para a educação que prioriza a formação integral dos nossos jovens”, afirma a Professora Roseli Ventrella, da equipe de Arte da Secretaria Estadual da Educação.

A ideia é que, depois de feito, o grafite permaneça nos muros, quadras e portas da escola, estimulando alunos e funcionários a conviverem com a expressão artística todos os dias.