segunda-feira, 13/12/2021
Notícia

Em Eletiva de empreendedorismo e culinária, estudantes da Escola Estadual Deputado Manoel Nóbrega constroem bikefood

'Sabores do Brasil’ trabalha conceitos de Língua Portuguesa e Matemática, além de competências socioemocionais

Uma pitada de planejamento, duas rodas, três doses de trabalho em equipe e criatividade à vontade. A bikefood, receita especial da Eletiva ‘Sabores do Brasil’, temperada com empreendedorismo e culinária, da Escola Estadual Deputado Manoel Nóbrega, saiu do forno e já fez a alegria da comunidade escolar de São Miguel Paulista, região Leste de São Paulo. A celebração contou com lanches de carne louca e um bolo de chocolate.

  

O projeto da escola de anos finais, que pertence ao Programa Ensino Integral (PEI), começou no primeiro semestre deste ano, ainda online, em duas aulas por semana. Participaram 37 estudantes dos 6º e 7º anos do ensino fundamental. Tudo foi capitaneado pelas professoras Kátia Alves, de Língua Portuguesa e Inglesa, e Rosa Célia, de Matemática, sob o suporte do diretor Miguel Muniz.

O primeiro passo foi a definição do tema, principalmente pela possibilidade de geração de renda em meio à pandemia, com distanciamento social e a alta do desemprego. “Nunca tivemos eletiva voltada à culinária. Foi um tema ligado a muitos projetos de vida apresentado pelos nossos alunos, que foram dando o formato”, contou Kátia.

Depois de alguns debates, os estudantes chegaram a um consenso de desenvolver a bikefood, que pudesse ser conectada em qualquer bicicleta de aro 26. As aulas da Eletiva seguiram com foco na comunicação e oralidade, em Língua Portuguesa, e noções de custos, lucro, produção e medidas, em Matemática.

Objetivo traçado, alinhamento definido e projeto em mãos. Era a hora de colocar em prática. E isso foi possível em agosto, com a retomada das aulas presenciais e a participação ativa de muitos colaboradores da região, que doaram equipamentos de proteção individual (EPIs) de segurança e matéria-prima. “A preocupação era o fechamento da escola para poder trabalhar e desenvolver. Eles (estudantes) achavam que não conseguiriam vir aqui. Em outubro, retomamos a conversa e, em novembro, começou a ‘mão na massa’, com todos os cuidados necessários e acompanhamento. Recebemos madeira compensada, ferros e alguns instrumentos, como eletrodos, bota, luva e máscara”, lembra Miguel.

   

Mais de 20 alunos participaram diretamente nesta etapa. Entre eles, Davi Bueno, do 8º ano, que foi convidado, e Gabriel Votan, do 7º ano, que apoiaram a montagem do projeto, principalmente no corte e solda. “Sou apaixonado em montagens. Meu pai é marceneiro e me apoiou muito neste processo. A Eletiva me ajudou bastante na convivência e no aprendizado para o meu projeto de vida. São experiências que vamos levar para a vida lá fora. Penso em ser engenheiro mecânico. Já participei do projeto de um carrinho movido a energia solar, na Eletiva Geração Solar, em 2019”, revela Davi.

“Fazer acontecer”

Estrutura de ferro consolidada, caixa de madeira montada, guarda-sol instalado, comunicação visual desenvolvida. Em novembro, o projeto saiu do papel: 100% montado na escola. Na internet, existem estruturas similares à venda por até R$4 mil. “Minha satisfação é fazer acontecer e ver nossos professores propondo projetos e contando com o engajamento dos estudantes. Preciso fazer acontecer. Na nossa escola, já realizamos outros projetos, como carro movido a energia solar e drone de papelão. Além disso, trabalhamos competências socioemocionais importantes na rotina escolar, como resiliência emocional. Os estudantes passam a entender que não é apenas comprar, é também fazer”, analisa o diretor.

   

Agora, o próximo passo é disponibilizar, nos próximos dias, o projeto completo em PDF e na página da escola no Facebook e da Eletiva no Instagram @sabores_do_brasil_nobrega. Em breve, o conteúdo também será disponibilizado através de um QR Code.