terça-feira, 07/08/2018
Foto Divulgação
Ensino Médio

Em Taubaté, alunos criam óculos especiais para deficientes visuais

Durante as aulas de Robótica, um grupo de estudantes desenvolveu o protótipo para facilitar a locomoção

Criatividade é o que não falta na rede estadual de ensino paulista. Diversos alunos são responsáveis por projetos capazes de mudar o dia a dia de muita gente. Em Taubaté, por exemplo, jovens desenvolveram um protótipo que facilita a locomoção de pessoas com deficiência visual.

Na E. E. Dr. José Marcondes de Mattos, o conteúdo abordado em sala pode ser colocado em prática em disciplinas eletivas, como a de Robótica. Por meio da metodologia ABP (Aprendizagem Baseada em Problema), três estudantes do Ensino Médio trabalham no desenvolvimento do Dispositivo Sensorial de Auxílio à Mobilidade, o DSAM.

Sob orientação do professor de Física Ednilson Luiz Silva Vaz, o novo sistema possibilita mais autonomia do deficiente visual nas suas atividades cotidianas. Ele faz a identificação de objetos localizados acima do sono e emite sinais sonoros.

“O diferencial do trabalho é que ele está sendo testado por um aluno deficiente visual da mesma turma dos estudantes que estão desenvolvendo os óculos”, explica o professor.

A ideia do projeto surgiu através de um dos alunos do grupo, que possui um amigo deficiente visual. Apesar de terem a ideia do que fazer, os jovens não sabiam como executá-la. Um dos alunos, Sebastião Guilherme Junior, conta que a proposta inicialmente foi lembrar do sensor de ré de carro.

“A gente tinha uma noção básica de como funcionava e, com a orientação do professor, a gente foi aprendendo mais sobre o dispositivo”, afirma o estudante. Para a criação do projeto, o grupo utilizou a Arduino, plataforma aberta de prototipação eletrônica.

Os óculos, portanto, trazem uma segurança maior do que a bengala e possui grande potencial para ser levado ao mercado. Por enquanto, os pequenos cientistas de Taubaté acreditam que o dispositivo será capaz de elevar a qualidade de vida de muitas pessoas.