terça-feira, 31/08/2021
Notícia

Ensino Médio de São Paulo: Itinerários formativos integrados lideram preferência escolar

Aprofundamentos curriculares passam a fazer parte da 2ª série a partir do ano que vem

Escolas de ensino médio da rede estadual confirmam as definições dos itinerários formativos a serem ofertados para a 2ª série, a partir de 2022. Cinco das seis opções propostas aos estudantes de aprofundamentos curriculares integrados, que unem duas áreas do conhecimento aparecem no topo da relação de mais de 3,7 mil unidades escolares dos períodos diurno e noturno.

A liderança ficou com Linguagens e Ciências Humanas (Cultura em movimento: diferentes formas de narrar a experiência humana), presente nas escolhas de 2.970 escolas (80,3%). Matemática e Ciências da Natureza (Meu papel no Desenvolvimento Sustentável), opção de 2.658 unidades (71,8%), ficou na segunda posição.

Linguagens e Ciências da Natureza (Corpo, saúde e linguagens), Matemática e Ciências Humanas (Ciências Humanas, Arte, Matemática #quem divide multiplica) e Linguagens e Matemática (Start! Hora do desafio!) completaram a lista dos cinco primeiros.

O currículo do Ensino Médio de São Paulo apresenta 11 possibilidades de aprofundamento curricular, sendo dez de áreas do conhecimento e uma de formação técnica. Cada escola deveria optar por, no mínimo, dois aprofundamentos curriculares que contemplassem as quatro áreas do conhecimento (Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza).

A importância do resultado obtido, que dá sequência ao processo de implementação da proposta é comentada pelo Secretário da Educação do Estado, Rossieli Soares. “É um marco do protagonismo estudantil. Isso foi possível graças ao engajamento de supervisores, diretores, vice-diretores, professores coordenadores, professores e estudantes. O diálogo entre a comunidade escolar se baseou na manifestação de interesse encerrada em julho e na quantidade de turmas disponíveis em cada unidade”, explica.

Para o Gestor do Ensino Médio de São Paulo, Gustavo Mendonça, o resultado dialoga com a necessidade de oferecer uma proposta curricular que aproxime os estudantes das transformações da sociedade e do mundo do trabalho. “Através dos itinerários formativos, permitimos um aprendizado alinhado entre todos os conhecimentos básicos e as áreas de mais interesse que façam sentido ao Projeto de Vida individual”, analisa.

”Protagonistas nas escolhas”
Presente na rotina dos estudantes e ciente de muitos dos seus sonhos, a professora Jéssica Junqueira, que leciona História, Sociologia, Filosofia, Eletivas e Tecnologia na Escola Estadual Eliza Rachel Macedo de Souza, em Guaianazes, afirma que, através do Projeto de Vida, os estudantes se tornam protagonistas das suas escolhas. “Eles passam a perceber os pontos que precisam de mais atenção e, assim, conseguimos trabalhar durante o ano todo. A minha Eletiva, por exemplo, é sobre o mercado de trabalho, e é baseada naquilo que os estudantes queriam: conseguir o primeiro emprego para chegar na faculdade. Assim, a gente tenta encaminhá-los da melhor forma, para que consigam trilhar um caminho”, conta.

Ítalo Ferreira é um dos alunos da professora Jessica na 1ª série. Ele crê que os itinerários formativos vão “agregar bastante na vida profissional e pessoal”. Apaixonado por tecnologia, ele conta que as aulas de Projeto de Vida e Tecnologia e Inovação têm ajudado bastante no autoconhecimento. “A gente sente que pode falar de igual para igual com os professores. Espero que a escola possa me ajudar a seguir em busca dos meus objetivos”, diz.

Participação ativa
Em julho, mais de 376 mil estudantes da 1ª série do ensino médio da rede pública estadual (89% do público-alvo) apontaram, via Secretaria Escolar Digital (SED), os itinerários formativos mais atrativos, conforme interesse individual. Quatro delas nas áreas de conhecimento e seis opções integradas entre elas.

Além dessas, quatro opções de qualificação através do Novotec Expresso, que permite aprofundamento curricular em uma área do conhecimento e dois certificados profissionalizantes (em cursos relacionados a programação, design, dados, tecnologia, ciências sociais e comunicação, por exemplo); e 21 no Novotec Integrado, que oferece a oportunidade do estudante sair com um diploma de curso técnico e com o do ensino médio, sem aumentar a carga horária (Administração, Marketing, Logística, Recursos Humanos, Comércio, Finanças, Contabilidade, Desenvolvimento de Sistemas, Informática para Internet, Serviços Jurídicos, Serviços Públicos, Guia de Turismo, Design Gráfico, Design de Interiores, Eventos, Nutrição e Dietética, Eletrônica, Eletrotécnica, Química, Análises Clínicas e Farmácia).

O Ensino Médio de São Paulo começou a ser implementado em 2021 para todos os 460 mil estudantes da 1ª série da rede de ensino pública estadual. A proposta curricular aproxima o estudante das transformações da sociedade, da universidade e do mercado de trabalho, permitindo adquirir todos os conhecimentos básicos e ainda escolher as áreas de mais interesse para aprofundar e ampliar os estudos, sem precisar ficar mais tempo na escola.