quinta-feira, 24/04/2014
Imprensa

Escola da capital ganha novo espaço e incentiva habilidades artísticas de 580 alunos

Projeto em parceria com o Fundo Social de Solidariedade oferece atividades no contraturno das aulas para estudantes da E.E. Parque Anhanguera A Secretaria da Educação e o Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo inauguram nesta quinta-feira, dia 24, as novas instalações da Casa da Solidariedade III. O espaço de incentivo à produção […]

Projeto em parceria com o Fundo Social de Solidariedade oferece atividades no contraturno das aulas para estudantes da E.E. Parque Anhanguera

A Secretaria da Educação e o Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo inauguram nesta quinta-feira, dia 24, as novas instalações da Casa da Solidariedade III. O espaço de incentivo à produção artística e lazer fica na Escola Estadual Parque Anhanguera, zona oeste da capital, e atende cerca de 580 crianças e jovens no contraturno das aulas. O evento tem participação de Lu Alckmin, primeira-dama e presidente do Fundo Social, e da secretária-adjunta da Educação, Cleide Bochixio.

Durante a semana, crianças e adolescentes de 6 a 16 anos têm a chance de participar de atividades artísticas variadas, como aulas de capoeira, dança, teatro, artes plásticas, circo e música. O espaço mantém ainda uma programação voltada ao esporte com apoio ao atletismo. A proposta é desenvolver as habilidades de cada aluno.

Para a ampliação das dependências da Casa da Solidariedade III, a Secretaria da Educação investiu R$ 540,5 mil. O ambiente conta agora com novas salas, anfiteatro, área externa para as aulas de circo e pista de atletismo. 

“Além de contribuir com a comunidade, promovendo o desenvolvimento local e proporcionando um complemento às atividades escolares, este projeto acaba revelando também grandes talentos entre as crianças e os jovens”, afirma Lu Alckmin.

Essa é a primeira unidade instalada em uma escola. A Casa da Solidariedade I e a Casa da Solidariedade II estão localizadas em sedes próprias na região central de São Paulo. Os espaços promovem ações integradas de saúde, arte e educação para alunos matriculados na rede púbica e também prestam apoio às famílias. As três Casas são administrados pelo Instituto da Criança Cidadã, ligado ao Fundo Social de Solidariedade.

“As ações propostas pela Casa da Solidariedade têm como objetivo despertar as habilidades de jovens e crianças, proporcionando a chance de ampliar a jornada dentro da escola. A parceria reforça nosso compromisso de oferecer aos alunos da rede estadual um complemento às atividades escolares”, afirma Cleide Bochixio.

Mais tempo na escola

Além da parceria com o Fundo Social, a Secretaria da Educação mantém diversos programas que ampliam a permanência dos alunos nas escolas da rede. Uma das ações é o Novo Modelo de Ensino Integral, presente hoje em 182 escolas e com 55 mil estudantes de Ensino Fundamental II e Médio atendidos. Estas unidades oferecem estrutura com laboratórios, disciplinas eletivas e gratificação de 75% sobre o salário-base dos profissionais atuantes por causa da dedicação exclusiva.

Outro exemplo de jornada estendida é oferecida pelo Vence, programa que desde a criação já têm 65 mil matriculados. Nele, o estudante da rede acessa o Ensino Médio e, no horário oposto, cursos técnicos variados fornecidos por instituições conveniadas. Há ainda os 229 Centros de Estudos de Línguas (CELs) em que o aluno pode cursar até 7 idiomas diferentes: inglês, espanhol, alemão, italiano, japonês, mandarim, francês. No ano passado, os centros chegaram a 68 mil participantes.