quarta-feira, 25/08/2021
Notícia

Escola estadual da zonal sul de São Paulo inaugura estúdio próprio do Centro de Mídias SP

Professores e alunos podem utilizar espaço para, produção, gravação e transmissão de aulas e atividades

O ensino híbrido chegou para todos como uma surpresa durante a pandemia, mas aos poucos as equipes escolares se adaptaram ao modelo que veio para ficar e colaborar para o desenvolvimento da Educação. Neste movimento, a Escola Estadual Professor Luiz Gonzaga Pinto e Silva, na zona sul da capital, inaugurou um estúdio do Centro de Mídias SP (CMSP) na unidade para transmissões de aulas e desenvolvimento de projetos estudantis.

“Inauguramos o nosso primeiro estúdio. Um estúdio completo do Centro de Mídias, explicou Jorge Luis, diretor da unidade.

Equipamentos como notebooks, desktops, wif-fi, estabilizadores, TVs fazem parte do kit CMSP adquirido pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) para as suas mais de 5,1 mil escolas estaduais. O investimento total é de R$ 1,5 bilhão.

”Falando enquanto Grêmio, a gente tinha que fazer algumas produções de vídeo e agora a gente tem todos os equipamentos. A gente antes gravava com celular, as vezes não ficava em boa qualidade, mas agora temos acesso a tudo isso e muito mais”, declarou a aluna Gisele Ribeiro.

Os professores também podem aproveitar a estrutura para transmitir aulas ao vivo pelo próprio aplicativo do CMSP. São 40 horas semanais disponíveis para transmissão dos docentes com suas turmas. Os dados móveis usados dentro o aplicativo são 100% patrocinados pela Seduc-SP para todos os estudantes e profissionais.

”Encontrar um estúdio como esse dentro de uma escola é um ótimo exemplo de como o Centro de Mídias e esse ensino híbrido veio para ficar. A ideia é que a tecnologia potencialize a aulas presenciais. Jamais a tecnologia vai substituir essas atividades, mas ter um estúdio assim é uma possibilidade para os alunos aprenderem a operar esse estúdio, as câmeras, pensar em podcasts, programas, seja para Youtube ou qualquer outro canal, e assim desenvolvendo uma série de habilidade especialmente em uma unidade como essa daqui, que ano que vem fará parte do Programa de Ensino Integral”, afima Bruna Waitman, coordenadora do Centro de Mídias SP e do Programa de Ensino Integral.