terça-feira, 14/11/2006
Últimas Notícias

Escola Eva Esperança Silva , de Ilhabela, é premiada no Projeto Escola Voluntária

Projeto Cidadão Esperança fica em 3º lugar em festa no Itaú Cultural A Escola Estadual Eva Esperança Silva, da cidade de Ilhabela, ficou em 3º lugar no Prêmio Escola Voluntária, iniciativa da Rádio Bandeirantes e da Fundação Itaú Social. A solenidade de premiação ocorreu ontem à noite, com a presença do governador Cláudio Lembo, da […]

Projeto Cidadão Esperança fica em 3º lugar em festa no Itaú Cultural

A Escola Estadual Eva Esperança Silva, da cidade de Ilhabela, ficou em 3º lugar no Prêmio Escola Voluntária, iniciativa da Rádio Bandeirantes e da Fundação Itaú Social. A solenidade de premiação ocorreu ontem à noite, com a presença do governador Cláudio Lembo, da secretária-adjunta de Educação, Carmem Annunziato; do presidente do Grupo Bandeirantes, João Carlos Saad; e do presidente da Fundação Itaú Social, Antônio Jacinto Mathias.

As escolas premiadas no 6º Prêmio Escola Voluntária foram as seguintes: em 1º lugar, ficou a Escola Municipal Hélio Pellegrino, de Belo Horizonte (MG); em 2º, a EMEF São Paulo, da cidade de Entre-Ijuís (RS). Ainda coube menção honrosa para o Colégio Estadual Círculo Operário, de Duque de Caxias (RJ).

A solenidade ocorreu em clima de festa e muita euforia, em que os principais protagonistas foram os próprios estudantes. Na abertura, apresentaram uma peça que focava justamente a necessidade e a preocupação com o trabalho voluntário, como forma de aprimorar a justiça social, cidadania, união entre as pessoas e melhoria na qualidade de vida. Este ano, além de São Paulo e Rio de Janeiro, os estados de Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul participaram pela primeira vez.

As finalistas de São Paulo

O Projeto Cidadão Esperança, dos alunos da Escola Estadual Eva Esperança Silva, de Ilha Bela, no litoral norte, que ficou em 3º lugar, enfatiza a preservação do meio ambiente e o exercício da cidadania. Teve início com uma pesquisa realizada no final do ano passado. Cerca de 10 a 15 alunos da escola, sob a coordenação da profª Áurea Nanda, constataram que o bairro tinha duas grandes carências: falta de local para obter documentos pessoais, e ausência de área de lazer.

Os estudantes conseguiram da Prefeitura a cessão de um terreno ao lado da escola para que seja construída uma área de lazer. Os alunos têm atuado, também, na Associação Amigos do Bairro, que estava desativada. Eles instituíram a Associação de Proteção aos Animais Errantes (APAILHA) e convidaram os demais municípios (São Sebastião, Ilhabela e Caraguatatuba) para fazer parte da associação.

O outro projeto de escola pública paulista que chegou à final foi o Acessa Narciso, realizado pelos alunos da Escola Estadual Vereador Narciso Yagues Guimarães, de Mogi das Cruzes, que disponibiliza o uso da prática digital para alunos, professores e toda a comunidade. O objetivo é incentivar a inclusão social por meio da prática digital. A professora Maria de Lourdes de Moraes Pezzuol desenvolve o projeto com dez alunos monitores voluntários, que participam também de outros projetos, entre eles, Aluno Monitor, Aluno Monitor Microsoft e o Educarede.

Prêmio Escola Voluntária

Este ano foram inscritas 457 escolas: 253 de São Paulo (todas da rede estadual de Ensino), 72 do Rio de Janeiro; 28 do Paraná; 45 do Rio Grande do Sul; e 59 de Minas Gerais.

O Prêmio Escola Voluntária nasceu em 2001 – Ano Internacional do Voluntário. A Rádio Bandeirantes decidiu, a partir daquele ano, abrir o microfone aos jovens para mostrar a eles que é possível agir e transformar o mundo em que vivem. O objetivo é incentivar trabalhos solidários e de valorização da cidadania.

O trabalho deve ter a comunidade como alvo e contar com a participação de alunos regularmente matriculados nas oitavas séries do ensino fundamental ou qualquer série do ensino médio.