sexta-feira, 26/11/2021
Notícia

Escolas estaduais em Jundiaí servem de posto itinerante para vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos

Em todo estado 98% do público esperado da faixa etária já tomou a primeira dose, porém destes apenas 24% estão com o calendário vacinal completo; segunda dose pode ser aplicada com 21 dias de intervalo

Dos mais de 3,2 milhões de adolescentes entre 12 e 17 anos que podem se vacinar contra a Covid-19, 98% já tomaram a primeira dose. Agora, com a diminuição do intervalo entre uma dose e outra (21 dias), o Governo do Estado de São Paulo espera aumentar a quantidade de jovens com o calendário vacinal completo. Atualmente somente 24% dos que já tomaram a primeira dose também receberam segunda.

Pensando em reverter estes dados a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) firmou uma parceria com a Prefeitura da Cidade de Jundiaí para transformar escolas estaduais em postos itinerantes de vacinação.

“Os diretores das escolas fizeram contato com os pais e responsáveis para que autorizassem a aplicação das vacinas nos estudantes. Para receber o imunizante, os alunos precisam apresentar a carteirinha de vacinação”, explica a Dirigente de Ensino de Jundiaí Valdete Ramos de Oliveira.

Na terça (23) e quarta-feira (24), estudantes das escolas EE Alessandra Cristina Rodrigues Pezzato e EE José Feliciano de Oliveira receberam o imunizante. Já nos dias 25 e 26 de novembro, é a vez das unidades EE Conde do Parnaíba, EE Dr. Antenor Soares Gandra e EE Bispo Dom Gabriel Paulino Bueno Couto.

“Jundiaí busca avançar na vacinação com novas estratégias de serviço, facilitando cada vez mais o acesso da população ao atendimento. Além da vacinação dos polos e dos sábados do Dia V, agora, com parceria com a Secretaria de Estado da Educação, a vacinação é realizada àqueles que tiveram a autorização dos pais”, comenta o prefeito Luiz Fernando Machado.

Os postos itinerantes devem ser replicados em outras escolas estaduais de todo o estado. O município de Campinas será o próximo.

O imunizante utilizado segue sendo o do laboratório Pfizer, uma vez que a Anvisa autorizou seu uso dentro desta faixa etária. A imunização dos adolescentes, apesar de não estar condicionada a volta às aulas presenciais, fortalece a manutenção das medidas sanitárias e protocolos de segurança e contribui para o retorno.

“A imunização, tanto dos profissionais da educação, quanto dos estudantes contribuiu para a retomada das aulas em todo o estado. É visível a redução da gravidade dos casos, pela queda das internações. Este reflexo demonstra a importância da vacinação defendida pela Seduc e prontamente atendida pelo governador Doria”, comenta o Secretário Estadual da Educação Rossieli Soares.