sexta-feira, 19/11/2021
Notícia

Escolas estaduais do estado de São Paulo celebram o Dia da Consciência Negra

Ações de estudo, imersão cultural e reflexão aconteceram durante toda semana

No dia 20 de novembro é comemorado o Dia da Consciência Negra. Durante todo mês, principalmente nesta semana que precede a data, as escolas estaduais de São Paulo realizam atividades sobre o tema e trazem reflexões para os estudantes e comunidade escolar. Entre as ações se destacam estudos sobre a história, cultura e herança afro. E também debates sobre temas relevantes à população negra e sua participação na sociedade, como o antirracismo. Confira alguns exemplos:

Na Escola Estadual Presidente Kennedy, na zona sul da capital, os alunos estão promovendo a ‘Semana da Consciência Negra’. A ação começou na terça-feira (16) com reflexões e discussões sobre o tema, encenações teatrais interpretadas pelos alunos, vídeos e palestras com a participação de ex-alunos e outros profissionais negros inseridos no mercado de trabalho. A diretora da Escola Estadual Santa Rosa de Lima Paula Beatriz, mulher negra transexual, foi uma das convidadas.

Já em Bauru, na Escola Estadual José Aparecido Guedes, os estudantes reforçam a ideia que as discussões sobre consciência negra precisam ocorrer durante todo ano. A exemplo disso, eles estão aprofundando seus conhecimentos na disciplina eletiva chamada ‘África diversa’, que estuda o continente em âmbito cultural, histórico e geográfico. Hoje (19), eles estão organizando um café literário para falar sobre escritores africanos e suas obras e que terá a participação de estudiosos da área, além de uma receita nigeriana conhecida como puff puff (parecida com o bolinho de chuva).

Na Escola Estadual Doutor Segundo Carlos Lopes, em Ibaté, a semana foi prestigiada pelo projeto ‘Blues na Escola’. Pelo segundo ano na unidade, a ação tem como objetivo mostrar a forte influência dos povos africanos na história, religião, alimentação, dança, costumes, entre outros. Neste ano, as apresentações musicais e debates procuraram contextualizar com os jovens estudantes a cultura afro-brasileira e a valorização do negro nos espaços da sociedade contemporânea.