segunda-feira, 19/10/2015
Pais e Alunos

Escolas estaduais são as três primeiras colocadas do 4º Congresso de Boas Práticas

Os premiados receberão uma viagem paga com acompanhante

O 4º Congresso de Boas Práticas da Parceiros da Educação, teve como vencedores três escolas da rede estadual. O evento visa à valorização e divulgação de ações desenvolvidas por diretores, coordenadores pedagógicos e professores nas escolas parceiras. O  primeiro lugar ficou com os alunos da E.E. Nove de Julho, em Dracena, que ganharam com o projeto “Horta do Futuro”. Os premiados receberão uma viagem paga com acompanhante. Além deste, dois projetos da rede também foram vencedores. 

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Outro projeto vencedor “Oia! O grito da imagem”, da E.E. Alexandre Von Humboldt, de São Paulo, ficou com o segundo lugar. A terceira colocação ficou com os estudantes da E.E. João XXIII, de Americana, com “Transformers”. Outros cinco projetos da rede estavam entre os 10 finalistas e ganharão um curso na Casa do Saber.

Projetos campeões

Para garantir o primeiro lugar, o projeto “Horta do Futuro” contou com a participação de cerca de 45 alunos dos 7° e 8° anos do Ensino Fundamental.  A experiência de cultivar uma horta hidropônica (sem a necessidade do uso de terra) foi uma ideia que surgiu após tentativas de implantar uma horta convencional no espaço escolar, mas o terreno mostrou-se inapropriado para a cultura.

Assim, professores e alunos chegaram juntos a conclusão que não deveriam desistir e aprenderam mais sobre a importância da alimentação saudável e como é possível cultivar alimentos em pequenos espaços. Ao final do projeto, a horta foi apresentada à comunidade e os alimentos colhidos foram incorporados à merenda escolar. A unidade, que funciona em período integral desde 2014, oferece uma jornada de até nove horas e meia e três refeições diárias.

Já o Projeto “Oia, o grito da imagem” teve como foco a linguagem visual. Os alunos participaram de aulas expositivas sobre a pobreza, utilizando imagens, gráficos, tabelas, infográficos e textos para estabelecer relações e identificar as mazelas sociais no entorno da escola. Os estudantes também foram estimulados a questionar a realidade social e planejar intervenções. O projeto contou com oficinas de fotografia, uma exposição fotográfica e a primeira edição da revista de iniciação científica OIA. A eletiva será retomada em 2016.

A Eletiva Transformers utilizou a placa Arduino, plataforma de prototipagem eletrônica que permite a criação de ferramentas acessíveis, de baixo custo e fáceis de usar por qualquer pessoa. A eletiva trabalhou as disciplinas de Física, Química, História e Inglês, relacionando-as ao conceito de robótica e ao contexto tecnológico de nossa sociedade. A proposta também auxilia no desenvolvimento de atividades práticas que façam uso do Arduino, de forma a despertar talentos e instigar projetos inovadores. Além da disciplina em sala, os alunos participaram de palestras, aulas práticas e raciocínio lógico, assim como alguns projetos desenvolvidos fizeram parte da Feira de Ciências da rede estadual.