quinta-feira, 28/10/2021
Notícia

Estudante de Indaiatuba é a vencedora do 9º Concurso de Redação do Hospital de Amor de Barretos

Maria Eduarda Gomes, aluna da Escola Estadual Profº Dr. Camilo Marques Paula, recebeu um notebook e um estágio no hospital pelo texto premiado

A estudante Maria Eduarda Gomes (15), da Escola Estadual Professor Doutor Camilo Marques Paula, localizada em Indaiatuba, é a grande vencedora do 9° Concurso de Redação do Hospital de Amor, de Barretos (SP). Com o tema “Vacina: uma dose de amor da ciência para a humanidade”, a competição recebeu 13.293 mil inscrições, a maioria de alunos provenientes da rede estadual.

Com o texto intitulado “Vacina: isso sim é empatia”, a aluna e a professora Patrícia Torres, que a orientou no processo de produção da redação, receberam como prêmio um notebook cada. A estudante também fará um estágio de três dias nos laboratórios do Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM), do Hospital de Amor.

Foram premiadas também Maria Eduarda Paz de Souza (2º lugar), da EE Senador João Galeão Carvalho Cidade, de Santo André (SP); Suiany Rodrigues Borin (3º lugar), da EE Profª Maria Conceição Aparecida Basso Cidade, de Fernandópolis (SP); Letícia Colugnati Del Bianco (4º lugar) do Colégio Liceu Barretos, de Barretos (SP); e Manuela Pereira Pinotti (5º lugar), da EE Zulmira da Silva Salles Cidade, de São José do Rio Preto (SP).

Maria Eduarda Gomes pretende cursar medicina e afirma que o estágio no Hospital de Amor foi um dos principais incentivos para participar do concurso. Para ela, a competição foi um passo adiante no seu Projeto de Vida e uma oportunidade de se aproximar da sua futura carreira. “Foi incrível ganhar, mas foi incrível também aprender e pesquisar. Os professores têm um papel essencial na minha vida e de todos os alunos, porque eles me ajudaram a me aprofundar na pesquisa. Uma simples redação te mostra tua capacidade e como as pessoas se importam com você”, afirma.

“A investigação científica começa na escola e este tipo de trabalho motiva nossos alunos à pesquisa. A pior doença que temos hoje é a intolerância e a ciência nos ajuda a aprender o valor das diferenças. Fico muito emocionada também porque passei por um processo de câncer por causas externas e o amor é fundamental para gente superar isso. Quando você tem o apoio da equipe médica, das pessoas que estão ao seu lado, em pequenos atos para dizer ‘vou te ajudar a superar isso’ faz toda a diferença na nossa vida”, declara a Secretária Executiva da Educação Renilda Peres.

Na cerimônia de entrega do prêmio, realizada hoje (27), no estúdio do Centro de Mídias SP (CMSP), o Coordenador do Núcleo de Educação em Câncer do Hospital de Amor, Gerson Vieira afirmou que “A escola é um ambiente propício para trabalhar esse tema, porque os estudantes são os melhores mediadores da informação. O câncer é causado na maioria dos casos por causas externas, que são as relacionadas ao comportamento, como má alimentação, tabagismo, sedentarismo. Levar à escola essas informações científicas para eles que a disseminem e desmistifiquem a doença é fundamental.

Além das premiadas, os autores das melhores redações de cada um dos 16 polos das Diretorias de Ensino (DE) do estado, recebem um certificado de participação, como forma de motivá-los a seguir escrevendo sobre temas sociais relevantes.

Sobre o concurso

O Concurso de Redação do Hospital de Amor teve início em 2013, com o intuito de difundir o conhecimento, popularizar a ciência e estimular os estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental à investigação científica, especialmente em relação ao câncer e à saúde. Inicialmente realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e a Diretoria de Ensino da Região de Barretos, o concurso se difundiu para todas as escolas do estado de São Paulo, por meio da parceria com a Secretária da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP), em 2016.

 

Neste ano, o objetivo do concurso foi informar os estudantes sobre os benefícios da vacina, seu contexto histórico e, principalmente, sobre as evidências de sua eficácia na prevenção da Covid 19. Sobre este tema, estudantes do 9º ano do ensino fundamental foram convidados a escrever, com a supervisão de um professor orientador. Temas como empatia, sentido de coletividade, importância da ciência, o cuidado consigo e com os outros estão entre os assuntos abordados pelas redações classificadas.