• Siga-nos em nossas redes sociais:
quarta-feira, 07/12/2011
Imprensa

Estudantes da rede estadual paulista já somam 20 medalhas nas Olimpíadas Escolares Brasileiras

Após o quarto dia de jogos, os atletas das escolas estaduais de São Paulo conquistaram quatro ouros, nove pratas e sete bronzes A competição nacional teve início sábado (03/12) em Curitiba, no Paraná, e reúne mais de 3.600 alunos de 1.129 escolas públicas e privadas de todo o País Os estudantes da rede estadual paulista […]

Após o quarto dia de jogos, os atletas das escolas estaduais de São Paulo conquistaram quatro ouros, nove pratas e sete bronzes

A competição nacional teve início sábado (03/12) em Curitiba, no Paraná, e reúne mais de 3.600 alunos de 1.129 escolas públicas e privadas de todo o País

Os estudantes da rede estadual paulista já conquistaram 20 medalhas nas Olimpíadas Escolares Brasileiras, categoria infantil (15 a 17 anos), que tiveram início sábado (03/12) em Curitiba, no Paraná. A competição vai até o dia 11 de dezembro e reúne mais de 3.600 atletas de 1.129 escolas públicas e privadas de todo o País. Após o quarto dia de jogos, os atletas das escolas estaduais de São Paulo somam quatro ouros, nove pratas e sete bronzes.

Das quatro medalhas de ouro, três foram conquistadas no atletismo e uma no ciclismo. O atleta Mauricio dos Santos Lima, da Escola Estadual Francisco Azevedo, de São José dos Campos, integrou a equipe vencedora do revezamento medley masculino, além de ficar com o bronze nos 200 metros. Aluna da Escola Estadual Joana Motta, de São Caetano do Sul, Izabela Rodrigues Silva foi a primeira colocada no arremesso de peso e ficou com o segundo lugar no lançamento do disco. Thiago Negreiros, da Escola Estadual Jardim Bopeva, de Praia Grande, também alcançou o lugar mais alto do pódio no lançamento do disco e a segunda colocação no arremesso do peso. Já Nayara Gomes, da Escola Estadual Jorge Correa, de Araçatuba, foi destaque no ciclismo, sendo campeã na categoria estrada individual e vice nos 500 metros contrarrelógio.

No total, 51 atletas de escolas estaduais paulistas competem no evento, sendo oito da capital, quatro da Grande São Paulo, dois do litoral e 36 do interior. Eles foram selecionados para representar o Estado nas disputas de atletismo (100, 200, 400, 800 e 3.000 metros, arremesso de peso, heptatlo, lançamento de dardo, lançamento de disco, salto em altura, salto em distância, salto triplo e octatlo), ciclismo, ginástica rítmica, judô, tae kwon do, xadrez e handebol. A maioria deles conquistou a vaga para a competição nacional na Olimpíada Escolar Estadual, realizada entre os dias 6 e 16 de outubro, em Penápolis.

Sobre as Olimpíadas Escolares Brasileiras

As Olimpíadas Escolares já se firmaram como um grande celeiro de atletas para o esporte de alto rendimento do Brasil. Observadores das Confederações Brasileiras Olímpicas participam do evento, reconhecendo e cadastrando os futuros atletas olímpicos do Brasil. Esse trabalho já vem apresentando resultados expressivos. No último Campeonato Mundial de judô, em Paris, onde o Brasil teve sua melhor participação na história, duas medalhas vieram de atletas oriundas das Olimpíadas Escolares: Mayra Aguiar e Sarah Menezes. Além disso, dos 81 atletas integrantes da delegação brasileira que disputou os Jogos Olímpicos da Juventude Cingapura, em agosto de 2010, 35 passaram pelas Olimpíadas Escolares desde 2005.

Incentivo ao esporte

Na rede estadual paulista, os alunos não só têm aulas de educação física, previstas na grade curricular do ensino regular, mas também podem participar das Atividades Curriculares Desportivas (ACD), que são oferecidas gratuitamente pelo Estado. Coordenadas por professores de educação física da rede, essas atividades acontecem no contraturno das aulas regulares e têm por objetivo aprofundar o contato do aluno com a modalidade esportiva.

“Na ACD, o aluno pode escolher um a modalidade na qual queira se aperfeiçoar e iniciar um treinamento de base. A partir daí começa a participar de competições, entrando de fato no meio esportivo”, explica Sérgio Roberto Silveira, da equipe técnica de educação física da Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas (Cenp), da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. “Dessa forma, a escola acaba sendo um celeiro esportivo, no sentido que sensibiliza e abre portas para o aluno conhecer o mundo dos esportes, além de dar a ele a oportunidade de se aprimorar”, conclui.

Veja aqui o quadro completo de medalhas