terça-feira, 21/09/2021
Notícia

Estudantes da rede pública estadual têm até esta quarta-feira (22) para preencher autoavaliação socioemocional bimestral

Podem participar Anos Finais e ensino médio; questionário estimula o autoconhecimento e a reflexão

Termina nesta quarta-feira (22) o prazo para que estudantes do 6° ao 9° ano do ensino fundamental e de todo o Ensino Médio da rede pública estadual preencham a autoavaliação socioemocional do 3º bimestre. Resultado da parceria entre a Secretaria da Educação do Estado (Seduc-SP) e o Instituto Ayrton Senna, o questionário, que está disponível online na Secretaria Escolar Digital (SED), de forma facultativa, desde o último dia 01, estimula o autoconhecimento e a reflexão.

A proposta objetiva propor autoavaliações no que diz respeito às capacidades individuais de pensar, sentir e agir consigo mesmo e com os outros, além de estabelecer objetivos, tomar decisões e enfrentar situações adversas ou novas. Bimestralmente, são respondidas pelos estudantes apenas as competências priorizadas em cada ano e série pela rede, definidas anteriormente no planejamento do componente Projeto de Vida, oferecido no por meio do Programa Inova Educação.

Levantamentos do Instituto Ayrton Senna indicam o aumento de situações de depressão e ansiedade no atual cenário de pandemia e retomada das aulas presenciais, com relatos de impactos à saúde física (associado ao maior tempo de inatividade, uso de telas, alterações no padrão do sono e de dieta) e emocional (associado à falta de contato social, ao medo de contágio, tédio, entre outras), gerando mais vulnerabilidade para o desenvolvimento de casos de estresse pós-traumático (EPT).

Assim, para promover a saúde emocional e contribuir no enfrentamento dessas situações, a autoavaliação priorizou oito competências socioemocionais, que foram divididas nos sete anos participantes, de acordo com alinhamento do corpo técnico envolvido: Tolerância ao estresse e organização (6º ano), Organização e imaginação Criativa (7º ano), Organização e empatia (8º ano), Organização e empatia (9º ano), Autoconfiança e organização (1ª série), Tolerância à frustração e foco (2ª série) e Tolerância ao estresse e persistência (3ª série).

Nas respostas, os estudantes avaliam como percebem seus desenvolvimentos em cada uma das competências priorizadas, em sete níveis, entre 1 e 4, de forma crescente, com justificativas. Ou seja, “degrau” 1 para menor nível de desenvolvimento e 4 para maior.

Luca de Oliveira Machado, da 3ª série do ensino médio da Escola Estadual Professor Jorge Corrêa, de Araçatuba (SP), resume os pontos positivos da participação. “Tem ajudado no meu Projeto de Vida, para eu me conhecer melhor. Assim, consigo analisar o que desejo para a minha vida, para a minha profissão, onde morar, e até a relação com a minha família”, diz.

As palavras do jovem ratificam o empenho docente na mesma escola, dentro de sala de aula, como explica a professora do componente Projeto de Vida, Luciana Cristina. “É importante, pois precisamos perceber como os estudantes estão naquele momento da autoavaliação. Através das competências socioemocionais, conseguimos visualizar e entender o sentimento de cada um. A emoção, a forma de se expressarem, como estão e de que forma isso se relaciona com o aprendizado. Com os pequenos do 6º ano, por exemplo, buscamos fortalecer a amabilidade, a empatia e o respeito. Se colocar no lugar do outro e sermos mais gentis para convivermos da melhor forma. É uma sementinha que vai brotar futuramente”, conta.

Desenvolvimento integral dos estudantes

O Projeto de Vida (PV) em São Paulo tem apoio do Instituto Ayrton Senna, além de outros parceiros, e é um dos três componentes curriculares do Programa Inova Educação, que ainda conta com Eletivas e Tecnologia e Inovação. Durante as aulas, os estudantes têm contato com abordagens atuais, relacionadas, por exemplo, à gestão de tempo, organização pessoal, compromisso com a comunidade e perspectivas para o futuro.

A parceria envolve também outras iniciativas em conjunto, visando a implementação da política de educação integral prevista no currículo estadual, que prevê o desenvolvimento pleno das habilidades cognitivas e socioemocionais dos estudantes.

Passo a passo para o preenchimento

Para responder à autoavaliação socioemocional, o estudante deve acessar a SED: https://sed.educacao.sp.gov.br/
No menu inicial, clicar em Aluno / Autoavaliação socioemocionais / Preencher Autoavaliação / Ler as instruções e avançar para iniciar. É possível selecionar a alternativa que o estudante mais se identifica, seguindo as orientações de preenchimento de cada questão. Ao concluir, basta clicar em finalizar. Ao confirmar, o questionário será enviado com sucesso.

Acessos e resultados

A partir de 23 de setembro, os educadores conduzirão, nas aulas de Projeto de Vida, um período de devolutivas para os estudantes, promovendo uma reflexão conjunta sobre as competências socioemocionais e suas possibilidades de desenvolvimento. Com essas informações, é criado um Plano de Desenvolvimento Pessoal (PDP), que é o planejamento de um conjunto de ações organizadas de maneira orientada, visando a realização de um sonho ou do Projeto de Vida, com o objetivo de promover o autoconhecimento e oportunidades de desenvolvimento das competências socioemocionais em foco. Vale lembrar que o PDP deve ser revisitado periodicamente, sendo também acompanhado do registro a respeito do seu desenvolvimento socioemocional.