quinta-feira, 23/10/2014
Escola de Tempo Integral

“Eu me sinto uma cientista”, diz estudante do curso de robótica da rede estadual

As aulas desmistificam o assunto e estimulam o desenvolvimento de projetos que englobam programação

Além das disciplinas de conteúdo obrigatório, os alunos do 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental de 60 Escolas de Tempo Integral participam de Oficinas de Robótica nas aulas eletivas de Tecnologia e Sociedade.

O conteúdo elaborado pelas equipes de Física e Ciências da Secretaria da Educação é acessado por meio de uma plataforma digital desenvolvida pela Escola Virtual de Programas Educacionais (Evesp). Depois de receberem noções básicas sobre a linguagem de programação, os estudantes partem para os exercícios práticos, feitos com os componentes eletrônicos do kit de robótica e a placa Arduíno, responsável por fornecer a energia para que os protótipos construídos funcionem.

As aulas começaram em maio deste ano e já são as favoritas dos estudantes da E.E. Professor José Claret Dionísio, localizada na cidade de Hortolândia, no interior paulista. Munidos com notebooks, cabos e sensores eletrônicos, a classe se divide em grupos e espera ansiosamente pelo início das atividades.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Orientados pelo professor Célio Freire eles dão os primeiros passos na programação. Os alunos já elaboraram um projeto que simula o funcionamento de sistemas de segurança utilizado em comércios e tem como meta construir um protótipo de robô até o final do ano letivo.

A multiplicidade de projetos possibilitados pelo kit estimula a criatividade científica dos estudantes. “Você forma um quebra-cabeças e descobre como montar o sistema de algo que usa ou já viu em algum lugar e não sabia que seria capaz de fazer sozinho. Se coloca um fio errado, precisa desmontar e refazer até dar certo. Eu me sinto uma cientista”, diz a estudante Thalia Toledo de Oliveira.