sexta-feira, 21/03/2014
Imprensa

Futuros professores fazem neste domingo prova do Residência Educacional

São 9 mil bolsas de estágio destinadas a universitários que cursam licenciatura nas 91 diretorias de ensino A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo realiza neste domingo, dia 23, mais um processo seletivo para o Programa Residência Educacional. Em 2014, o modelo de estágio pioneiro no país voltado aos futuros professores foi ampliado […]

São 9 mil bolsas de estágio destinadas a universitários que cursam licenciatura nas 91 diretorias de ensino

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo realiza neste domingo, dia 23, mais um processo seletivo para o Programa Residência Educacional. Em 2014, o modelo de estágio pioneiro no país voltado aos futuros professores foi ampliado para as 91 diretorias de ensino. Os locais da prova já podem ser consultados no site da Fundap.

São oferecidas ao todo 9 mil bolsas no valor de R$ 600,00, incluindo auxílio transporte de R$ 180,00.  Os selecionados têm a chance de participar de todas as atividades escolares do Ensino Fundamental e Médio, inclusive na sala de aula e na programação pedagógica, sempre em conjunto com o professor titular. 

O exame, que tem duração de três horas, será composto por 30 questões de múltipla escolha e abrange a Matriz de Competências e Habilidades do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O gabarito da prova será publicado no próximo dia 25. Já a classificação final dos candidatos será divulgada a partir do dia 4 de abril.

Desde o ano passado, atuam como residentes nas unidades de esnino da rede estadual 1.950 universitários de cursos de licenciatura como história, ciências biológicas, matemática e letras. A carga horária diária é de até 6 horas, não ultrapassando 15 horas semanais e é válida como horas de estágio obrigatórias.

“A proposta do Programa Residência Educacional é fortalecer os cursos de licenciatura e, ao mesmo tempo, aproximar esse futuro professor da educação pública. Durante o período de estágio, os estudantes entram em contato com o currículo do Estado, com nossas escolas e com nossos profissionais”, afirma o secretário da Educação, professor Herman Voorwald.