quinta-feira, 16/07/2020
Boas Práticas

Gamificação e rodas de conversa ajudam alunos a assimilar e dinamizar conteúdos em escolas estaduais de Limeira

Professoras realizam encontros quinzenais para interagir com os alunos

Na Diretoria Regional de Ensino de Limeira, duas professoras de escolas diferentes estão criando ambientes virtuais que favorecem a interação dos alunos e a aprendizagem durante esse período de aulas mediadas por tecnologia.

A distância entre as duas escolas é de aproximadamente 30km, mas a pandemia, juntamente com a vontade de levar aulas mais interativas e interessantes aos alunos, ajudou a diminuir o distanciamento por meio das atividades remotas.

A professora Nayra Vido, da Escola Estadual Arlindo Silvestre, localizada em Limeira, convidou a colega Carol Gallani, da Escola Estadual José Amaro Rodrigues, em Artur Nogueira, a produzir conteúdos gamificados e rodas de conversa.

Os conteúdos contam com jogos, atividades de QR Code e formulários gamificados. As atividades são formuladas e enviadas semanalmente pelas professoras de acordo com os conteúdos do currículo. Entre os assuntos vistos estão: reprodução das plantas e dos animais por meio de gamificação utilizando o personagem Batman, desafio aos alunos por meio de confecção de memes para sensibilizar a população a economizar energia, construção de circuito elétrico usando simulador, entre outros.

“O feedback está sendo muito positivo. Os alunos falam que é uma forma de aprender se divertindo, que o aprendizado fica mais prazeroso”, explica a professora Nayra. “Com isso, estamos dando a oportunidade deles conhecerem outras plataformas, como as atividades do QR Code. Tudo isso faz com que eles aprendam que pesquisa não se faz apenas usando papel”.

Rodas de conversa

A cada quinze dias, todas às quintas, as professoras e os alunos das duas unidades participam de rodas de conversa. As temáticas são variadas, escolhidas pelos próprios estudantes. A ideia é fazer um momento leve, para que os alunos possam interagir, mesmo que virtualmente, e fortalecer o senso crítico diante dos temas propostos. O grupo já debateu sobre bullying, transmissão e prevenção do coronavírus, fakenews, além de indicação de livros.

“A ideia é fazer este momento descontraído, para aliviar o peso do confinamento e o bombardeio de informações a todo instante. Falar de assuntos que eles gostam, deixar o assunto dentro do universo deles é uma estratégia para aumentar o engajamento deles nas rodas”, afirma a professora Carol.