quinta-feira, 13/08/2009
Últimas Notícias

Goldman e Paulo Renato assinam convênios para aplicação do Saresp nas redes municipais

Cerca de 600 mil estudantes de 516 cidades paulistas serão avaliados gratuitamente em exame estadual O vice-governador Alberto Goldman e o secretário de Estado da Educação, Paulo Renato Souza, assinaram nesta quinta-feira (dia 13) convênios com prefeitos de 516 municípios que permitirão aplicar o Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São […]

Cerca de 600 mil estudantes de 516 cidades paulistas serão avaliados gratuitamente em exame estadual

O vice-governador Alberto Goldman e o secretário de Estado da Educação, Paulo Renato Souza, assinaram nesta quinta-feira (dia 13) convênios com prefeitos de 516 municípios que permitirão aplicar o Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo) também nas redes municipais de ensino. “O Saresp é o instrumento central da política estadual para a educação, pois com base nele podemos ter uma idéia clara dos pontos que ainda precisam ser melhorados”, explicou o secretário Paulo Renato durante evento no Palácio dos Bandeirantes. “É muito bom ver que 80% dos municípios e mais de 150 escolas particulares aderiram ao exame” concluiu.

Dessa forma, cerca de 600 mil estudantes de 3.082 escolas municipais de todo o Estado se somarão aos 5,5 milhões de alunos da rede estadual na aplicação da prova, que é um importante instrumento para avaliar e melhorar a qualidade do aprendizado. “ O Saresp é o sistema de avaliação do rendimento escolar do aluno. Nós temos uma série de ações feitas para que esse rendimento possa melhorar e essa prova é importante para que tenhamos uma avaliação dos resultados do trabalho que estamos fazendo”, afirmou o vice-governador Alberto Goldman.

Pela primeira vez, o governo do Estado vai pagar todos os custos da adesão dos municípios à avaliação estadual. Para isso, estão reservados R$ 7,1 milhões. “Nós iremos fornecer a avaliação e iremos informar o município sobre os resultados dessa avaliação, identificando os pontos que precisam ser trabalhados para que os municípios desenvolvam formas de sanar essa necessidade”, explicou Paulo Renato.

A adesão ao Saresp vai colocar à disposição dos secretários municipais de Educação – sem custo algum – um instrumento eficaz para avaliar a qualidade do ensino que está sendo oferecido e quanto os alunos estão aprendendo.

A assinatura do convênio formaliza uma cooperação técnica entre as equipes do Estado e da Prefeitura. Os municípios terão acesso à matriz de referência de tudo que será avaliado. As redes municipais também farão o questionário socioeconômico que vai para as casas dos alunos. O questionário é respondido pelos próprios pais.

Durante o evento, o prefeito de Pirapozinho, Marcos Antônio Brambilla, falou em nome dos mais de 500 municípios presentes. “Com a assinatura desse convênio, teremos em nosso município a experiência e competência do Governo do Estado de São Paulo na avaliação de resultados” afirmou.

Com a participação dos municípios na avaliação 2009, o Estado terá visão total da educação pública de São Paulo e as prefeituras receberão relatórios pedagógicos que permitirão interpretar os resultados de cada rede, incluindo o boletim de cada escola.

O que é o Saresp?

O Saresp é uma avaliação externa realizada desde 1996 pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. As provas do Saresp 2009 serão realizadas no próximo mês de novembro. Cerca de 145 instituições particulares também vão participar da avaliação, mas estas vão arcar com o custo próprio da aplicação da prova. “A ampliação desse sistema de avaliação é importante para que possamos conhecer dos resultados da educação dos municípios”, afirmou Goldman.

A prova tem como finalidade fornecer informações consistentes, periódicas e comparáveis sobre a situação da escolaridade na rede pública de ensino paulista, visando orientar os gestores do ensino no monitoramento das políticas voltadas para a melhoria da qualidade educacional. Em novembro de 2009 serão aplicadas provas aos alunos da 2a, 4a, 6a e 8a séries do Ensino Fundamental e da 3a série do Ensino Médio. Os componentes curriculares a serem avaliados são língua portuguesa, redação, matemática e ciências humanas (geografia e história). O Governo do Estado divulgará apenas os resultados globais do SARESP, cabendo aos municípios a divulgação de seus próprios resultados.

Idesp

O Saresp é, também, o componente mais relevante do Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo), utilizado apenas na rede estadual. Cada escola tem que alcançar uma meta específica do Idesp, de acordo com a sua realidade. As escolas que superarem as metas permitirão que suas equipes (tanto professores como profissionais de apoio) ganhem até 2,9 salários anuais a mais, que serão pagos no primeiro semestre do ano que vem. Dessa forma, cada profissional da rede estadual poderá ganhar praticamente 16 salários anuais. “É um estímulo poderoso para melhorar a qualidade da educação em nosso Estado”, diz o secretário Paulo Renato. Além disso, o governo do Estado acaba de lançar o programa Valorização pelo Mérito, um plano que vai permitir aos professores praticamente quadruplicar o salário ao longo da carreira, desde que tenham boas notas em avaliações, permaneçam na mesma escola e tenham assiduidade.

A ampliação do Saresp para as redes municipais de ensino dá sequência ao amplo programa desenvolvido pelo governo do Estado para melhorar a qualidade da educação, com medidas como o Programa Ler e Escrever (voltado a acelerar a alfabetização de crianças da primeira à quarta séries), o São Paulo Faz Escola (com novo currículo e materiais específicos para alunos e professores), diversas modalidades de recuperação de aprendizagem para alunos com dificuldades, o Programa + Qualidade da Educação (que criou a Escola de Formação de Professores e mudou a forma de ingresso dos profissionais do magistério, instituindo o curso de formação como última etapa do processo seletivo), entre outras ações. “São ações muito consistentes que já estão melhorando a qualidade do aprendizado oferecido em nossas escolas”, diz o secretário Paulo Renato.