sexta-feira, 02/06/2017
Boas Práticas

Grêmio Infantil de Sumaré cria campanha para promover a paz na escola

Gremistas da E.E Rubens Oscar Guelli articularam atividades durante todo o mês de maio

Trabalhar para promover uma cultura de paz no ambiente escolar é uma das propostas do Grêmio Infantil da E.E Rubens Oscar Guelli, localizada na região de Sumaré. Durante o mês de maio, os alunos desenvolveram atividades do “Maio Branco, Paz na Escola”, cujo encerramento aconteceu nesta sexta-feira (2), com hasteamento da bandeira branca, símbolo da campanha, e participação de todos os alunos.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

O presidente do Grêmio, Kaiqui Luiz Baldan, de 9 anos, relatou que as atividades se concentraram em observar o comportamento dos colegas e disseminar pequenas atitudes que gerassem harmonia ao ambiente escolar. Para isso, foi produzido um vídeo com imagens de situações desconfortáveis na escola, como alunos que furavam fila, empurravam outros colegas e faziam provocações. “Nós passamos o vídeo nas salas de aula e depois perguntávamos aos nossos colegas porque eles faziam isso, se eles gostavam de ser tratados assim e debatíamos uma forma de diminuir esses casos”, disse.

Para Kaiqui, o resultado foi satisfatório. “Eu percebo que no recreio o comportamento dos alunos mudou bastante. Ainda vemos alguns casos, mas a gente vai lá e conversa com o aluno e vamos nos ajudando. E o que eu mais gostei foi que eles estão reagindo, eles não estão só parados ouvindo a gente falar, estão reagindo de verdade”, relatou.

Além do vídeo exibido e dos debates com os alunos, os gremistas articularam uma parceria com o Conselho Tutelar de Sumaré para juntos tratarem sobre os vários tipos de violências e contou com a participação de conselheiros para palestras sobre como os estudantes podem evitar situações de violência e também como denunciá-las.

“Todo o projeto foi organizado pelos gremistas, com supervisão e algumas pequenas intervenções dos professores responsáveis fazendo valer a gestão democrática, projeto convivência e o protagonismo infantil”, explicou o professor e interlocutor do Grêmio, Adriano Fiuza.