segunda-feira, 08/10/2018
Foto Divulgação
Ensino Fundamental

Instalada dentro da escola, estação meteorológica ajuda no aprendizado

Em São José do Rio Preto, alunos e professores têm a oportunidade coletar e analisar temperatura, umidade e pressão

Alunos e professores da E.E. Oscar de Barros Serra Doria, em São José do Rio Preto, fazem parte de um projeto bastante inovador. Dentro da unidade, foi instalado uma estação meteorológica através do programa “Clima Escola”, uma iniciativa de professores da rede pública de Brasília.

O sistema é operado pelos próprios alunos e professores e mede a temperatura, a pressão atmosférica e a umidade relativa do ar. Enquanto o sistema do município atualiza as informações sobre a situação do tempo na região a cada hora, o dispositivo faz a medição a cada três minutos.

“Imagina você ter dentro da escola um aparelho onde pode consultar online a situação do tempo”, afirma Eliani Marques Rocha, professora coordenadora da unidade. “O mais importante para nós, aqui, é a umidade do ar. O clima na cidade é bem quente e a umidade em determinadas épocas do ano é muito baixa”.

Segundo a docente, a medição também possui um caráter fundamental para previr doenças respiratórias, uma vez que umidade baixa requer diversos cuidados com a saúde.

Este projeto permite que cerca de 400 alunos do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio sejam beneficiados. As informações coletadas podem ser discutidas em sala de aula e, durante os estudos, é possível analisar a geografia do local, entender a variação da temperatura, entre outros assuntos relacionados a meteorologia.

“As coisas que não sabíamos fomos aprendendo, e algumas curiosidades foram solucionadas pelos professores”, conta Milena dos Santos Silva, presidente do Grêmio Estudantil.

Não só Milena, mas outros estudantes da unidade também se interessaram bastante pelo projeto. Desde a sua implementação, ele foi fundamental para ensinar na prática teorias que são apresentadas nas aulas de Geografia, por exemplo.

As estações possuem uma placa NodeMCU, aparelho que faz a medição, customizada pelos professores que a desenvolveram, em Brasília. Nela, há dois sensores que medem a situação do clima em tempo real.

Para ter acesso aos dados coletados pelo sistema, os alunos podem acompanhar pelo próprio celular. Basta entrar no site do projeto e procurar pela unidade.