terça-feira, 26/06/2018
Governo do Estado de São Paulo
Ensino Fundamental

João Cury recebe secretários da Educação para debater diretrizes da BNCC

No Salão Nobre da SEE, o foco da conversa foi o novo Ensino Médio

Nesta terça (26), aconteceu no Salão Nobre da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo o segundo, e último, dia da II Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Secretários da Educação – CONSED. Na ocasião, o secretário paulista João Cury recebeu os convidados para que fossem debatidas as diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), entre outros assuntos. Participou da abertura o presidente do Conselho Nacional da Educação, Eduardo Deschamps, que falou sobre os Documentos Normativos do novo Ensino Médio, que está em tramitação naquele órgão.

Clique aqui e saiba tudo a BNCC

Segundo Eduardo Deschamps, “o Conselho dos Secretários de Educação é uma das principais entidades de organização para que possamos aplicar as mudanças que o Ensino Médio brasileiro precisa”, afirma. O presidente do CNE ainda disse que “as secretarias estaduais de Educação são as principais responsáveis pela oferta de ensino no país, com mais de 80% das matrículas. Então, em nome do Conselho Nacional de Educação eu vim conversar com os secretários por conta das mudanças que estão sendo feitas nas normas, sendo estabelecidas pelo CNE”, completa.

Para Deschamps, a conversa é importante para que se possa “identificar quais são os pontos de atenção que a gente precisa trabalhar e, principalmente, produzir documentos normativos que possam colaborar na implementação eficaz do novo Ensino Médio no Brasil”, esclarece.

Presente na reunião, o ministro da Educação, Rossieli Soares, deixou claro que o empenho em construir e aprimorar a BNCC é geral em todos os estados da federação. Ele avalia que “todos estão remando na mesma direção”, afirma o ministro.

No entanto, a participação dos alunos e professores, que vivenciarão na prática toda essa mudança, é essencial nas etapas em que se colhe as sugestões de propostas. Somente assim será possível construir um currículo que respeite a realidade local de cada região do país.

“Todos estamos de acordo em uma questão, essa reforma só terá os resultados desejados se os nossos alunos estiverem envolvidos em todas as etapas de sua construção até a efetiva implantação”, afirma o secretário João Cury. E ele acrescenta: todas as disciplinas estarão contempladas, nenhuma matéria a menos!”