sexta-feira, 22/06/2018
Governo do Estado de São Paulo
Boas Práticas

“Jornada da Matemática”, projeto lúdico para desenvolver a disciplina

A iniciativa é aplicada aos alunos da EE Professor Victório Américo Fontana

Foi após perceber as dificuldades dos estudantes na resolução dos problemas de raciocínio lógico que os educadores da escola estadual Professor Victório Américo Fontana colocaram em prática o projeto “Jornada da Matemática”. Com ele, os alunos dos 4º e 5º anos participam de uma competição interclasses de matemática, dividida em duas fases: individual e em grupo. O objetivo é estimular o estudo de forma lúdica, de acordo com as necessidades específicas de cada turma.

É comum que os alunos e as alunas tenham um certo medo de exatas, sobretudo na disciplina de matemática. “Eu acredito ser uma cultura. Eles vêm com isso desde a primeira série, achando que é uma matéria difícil. E às vezes ele ainda nem tiveram a chance de conhecerem a disciplina. Então, a gente acaba fazendo um trabalho diferenciado para tentar mudar essa realidade”, conta a professora Rosangela Ramos.

“Eu não gostava muito de matemática, pois achava uma matéria péssima. E com a Jornada eu comecei a treinar mais e minhas notas mudaram bastante”, esclarece o estudante João Vitor da Silva, que está no 5º ano do Ensino Fundamental.

Trabalhando isoladamente, os alunos não compreendiam onde a matemática poderia ser utilizada fora da escola. E o projeto clareou o pensamento para que eles passassem a perceber que a matemática é utilizada no cotidiano, de diversas maneiras diferentes.

Cada dia é uma atividade diferente, para que os alunos vão se aperfeiçoando. Depois, a professora avalia e vê quantos pontos fez cada participante. O próximo passo é pegar os melhores e levar para a quadra, onde é feita uma competição. Ou seja, enquanto a matemática não é algo tão procurado espontaneamente, na competição os estudantes se dão ao máximo, pois ninguém gosta de ser o segundo colocado. E com a estratégia, o avanço pedagógico é visível.

“Minhas notas no começo do ano não eram aquela coisa. Eram boas, ganhava 8, 9… mas, teve um boletim que eu fiquei com três notas 10, e uma dessas matérias era a matemática”, explica a aluna Giulia dos Santos Pires.

É claro que se trata de uma competição, mas o objetivo principal é o desenvolvimento dos alunos. É uma maneira mais leve, diferenciada da tradicional, que faz com que os educandos aprendam mais.