segunda-feira, 04/10/2021
Notícia

As lembranças dos educadores da E E Dr. Carlos Guimarães reúne e ultrapassa séculos

Escola centenária de Santa Cruz das Palmeiras formou gerações

Pelas salas de aula da Escola Estadual Doutor Carlos Guimarães passaram diversas famílias do município de Santa Cruz das Palmeiras.

Uma tradicional casa de ensino com muita identificação com a cidade, onde alunos, familiares e a equipe profissional de servidores e , professores já estudaram na escola.

Entre os ex-alunos está Arlete Maria Caron Gutierrez, de 71 anos. Arlete, que já foi diretora de escola e atualmente está aposentada, conta que, além dela, sua mãe e sua avó, nascidas em 1924 e 1903 respectivamente, também lá fizeram o curso primário, como era denominado na época. “Todos os moradores têm um grande orgulho e muito respeito pela escola, pois todos os mais velhos sentaram em seus bancos.”

Outra ex-aluna que frequentou os bancos escolares da unidade foi Maria Aparecida Franco de Camargo Fiorini, 74 anos, professora do ensino fundamental também aposentada. “A minha relação com a escola é muito grande e guardo dela um sentimento altamente positivo. Eu, meu marido Carlos Gustavo, meus filhos Carlos Fernando e Selma Elena estudamos nesta escola. Meu marido foi professor, diretor e Supervisor de Ensino da unidade, e ainda lecionei na mesma escola. Moro próximo e a vejo diariamente, rememorando várias e ótimas lembranças dos tempos de estudante e professora.”

A unidade que em 2022 fará parte do Programa de Ensino Integral (PEI), tem muita história como essas para contar. “Alunos relatam que seus bisavôs, avós e pais realizaram a formação escolar básica aqui”, afirma Flávia Amorim de Oliveira, atual diretora da unidade.

História

 Primeiro denominada Grupo Escolar de Palmeiras (1911), depois Grupo Escolar Dr. Carlos Guimarães (1927), e hoje Escola Estadual Dr. Carlos Guimarães, a unidade foi criada no dia 1º de maio de 1908.

O terreno para a construção foi doado pela Condessa Monteiro de Barros, que contribuiu para o desenvolvimento da cidade de Santa Cruz das Palmeiras. Por ocasião da Revolução Constitucionalista de 1932, o grupo escolar foi ocupado pelos soldados mineiros que destruíram arquivos, deixando apenas os livros de Termos de Visitas e de Ponto do Pessoal.

A EE Dr. Carlos Guimarães faz parte do conjunto de 126 escolas públicas construídas pelo Governo do Estado de São Paulo entre 1890 e 1930 que tiveram o reconhecimento cultural, histórico e arquitetônico. Essas edificações expressam o caráter inovador e modelar das políticas públicas educacionais que, durante a Primeira República, reconheceram como inerente ao papel do Estado a promoção do ensino básico. Considerada patrimônio cultural, a unidade foi tombada pelo Condephaat, por meio da Resolução n° 60 em 2010.

Restauro

Dentre as obras realizadas pela FDE na escola, houve um restauro concluído em 2013. Na obra levou-se em conta a conservação e recuperação dos elementos originais, com base no registro histórico, arquitetônico e iconográfico do prédio tombado.

 

Patrono

Carlos Augusto Pereira Guimarães, nascido em Paraibuna em 1862, ocupou vários cargos na justiça e foi eleito para diferentes cargos políticos. Propôs ao governador do estado Manoel Joaquim de Albuquerque Lins a implementação de uma linha de crédito para construir prédios escolares na capital e interior paulista. Faleceu em São Paulo em 1927.