terça-feira, 29/03/2005
Últimas Notícias

Lidar com as difrenças só me estimula, diz professora

O sonho de menina era ser veterinária. Mas as brincadeiras com os amigos – sendo sempre a professora – e a vontade de ensinar despertaram nela a paixão pelo Magistério. Terezinha Barcala Tremonti, de 40 anos, 25 de profissão, sempre deu aulas em escolas particulares. Sete anos atrás, ingressou na rede estadual, aceitando um desafio […]

O sonho de menina era ser veterinária. Mas as brincadeiras com os amigos – sendo sempre a professora – e a vontade de ensinar despertaram nela a paixão pelo Magistério.

Terezinha Barcala Tremonti, de 40 anos, 25 de profissão, sempre deu aulas em escolas particulares. Sete anos atrás, ingressou na rede estadual, aceitando um desafio e tanto: substituir a professora titular de uma classe com portadores de necessidades especiais.

ALEGRIAS, TRISTEZAS E O RECOMEÇO

“Me encontrei na profissão”, relembra a professora. Mas a alegria logo deu lugar à decepção. A professora titular voltou para a escola, e ela teve que deixar a classe. Terezinha conta que ficou arrasada na época, mas isso não a fez desistir do sonho. A família e os amigos foram os grandes incentivadores da educadora para que ela fizesse o curso de capacitação para trabalhar com alunos especiais, na Universidade de São Paulo (USP).

No mesmo ano, já preparada para o desafio de ensinar os portadores de necessidades especiais, ela assumiu como professora titular de uma turma da EE “Regente Feijó”, onde dá auxílio pedagógico e social até hoje.

Desde então, não parou mais. Hoje ela dá aula para 15 alunos, com idades entre 7 a 16 anos, da EE “Mathias Aires”, na Freguesia do Ó. Na classe existem crianças e jovens com várias síndromes e problemas psiquiátricos.

AJUDA E PARCERIAS

Quando não está na sala de aula, Terezinha busca o apoio de profissionais voluntários que possam ajudar os alunos a melhorar o desempenho nos estudos. Entre as conquistas, estão os descontos em sessões de fisioterapia, fonoaudiologia, atendimento dentário e psicológico. E não é só. Terezinha também promove aulas recreativas com música para memorizar o alfabeto, visitas a museus e teatros, e aulas práticas de carpintaria, culinária, atividades com materiais recicláveis e colagens.

PLANOS PARA O FUTURO

Determinada, a professora está reformando uma pequena escola de educação infantil, na Freguesia do Ó, com o apoio da comunidade. A idéia é atender portadores de deficiência moderada que não tem lugar para estudar. E mais.

O lançamento do livro “Toda Criança é Especial” também está nos planos dela. “Quero mostrar algumas dificuldades físicas, psicológicas e mentais que o aluno pode apresentar, e como os pais podem descobrir do que os filhos precisam”, explica. O próximo passo é encontrar uma editora para publicá-lo.

CHAMADA ORAL COM TEREZINHA BARCALA TREMONTI

Quem é você: “Uma pessoa que nasceu para ajudar e servir”
Seu projeto de vida: “Ter uma classe especial para atender os alunos”
Um sonho: “Fazer algo pelas pessoas que precisam de ajuda”
Os alunos: “São a continuidade da minha casa, meus filhos…”
A família: “Meu alicerce, meu porto seguro”
Uma frase: “Meu Deus: Eu creio, mas aumentai minha fé”