segunda-feira, 12/05/2014
Pais e Alunos

Mais de 39 mil alunos da rede possuem nomes de jogadores convocados para Copa do Mundo

Alunos terão as férias antecipadas neste ano para o mês de junho, mesmo período dos jogos

Segundo levantamento da Educação, 39.065 alunos da rede estadual de ensino têm o mesmo nome como são conhecidos 21 jogadores convocados pelo técnico da Seleção Brasileira de Futebol, Luiz Felipe Scolari. Os 4 milhões de alunos do Estado entram em férias no dia 12 de junho, data do início da Copa do Mundo no Brasil.

– Confira a lista com nomes de alunos iguais aos dos convovados

Da lista divulgada pelo técnico e como os jogadores são conhecidos, não há alunos que se chamam Hernanes ou Hulk na rede estadual de ensino – sobrenome e apelido do volante e do atacante da Seleção. Entre todos os jogadores chamados a integrar o time que defenderá o Brasil na conquista pelo hexacampeonato, o do goleiro Victor é o mais comum, com 5.005 registros. Na rede estadual de ensino, há ainda 19 professores que se chamam Luiz Felipe e 397 que se chamam Carlos Aberto, “xarás” de Felipão e de Parreira.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Férias

Para este ano, a Secretaria organizou um calendário especial para 2014, ano em que o Brasil sedia o campeonato mundial. As férias escolares para os 4 milhões de alunos da rede foram antecipadas e marcadas entre os dias 12 de junho e 13 de julho, período em que os jogos de futebol acontecem.

A reorganização do calendário mantém a garantia dos 200 dias letivos previstos em lei e nenhum prejuízo curricular aos estudantes, já que o início das aulas foi antecipado e começou em 27 de janeiro. A rede estadual também já definiu que alunos, professores e servidores terão uma semana de recesso entre os dias 13 e 19 de outubro.  

O planejamento foi feito pela Coordenação de Gestão da Educação Básica (CGEB) da Secretaria para que a presença dos alunos em sala de aula não tivesse nenhuma interferência por causa do evento e também para colaborar na organização dos setores públicos e privados na oferta de serviços e diminuição do trânsito, por exemplo.