terça-feira, 08/03/2022
Notícia

Mulheres ocupam em igualdade os cargos de liderança da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

Nas escolas, maioria é feminina; professoras finalistas do “Nobel da Educação” também atuam na rede estadual

O Dia Internacional das Mulheres, 8 de março, simboliza a luta histórica das mulheres por melhores condições de trabalho e igualdade de direitos. Além da reivindicação por igualdade salarial, o movimento feminino também combate o machismo e a violência contra a mulher.

Na Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) as mulheres ocupam em igualdade os cargos de liderança. Entre as 12 principais posições, seis são ocupadas pelo sexo feminino. As chefias da Secretaria Executiva, das Coordenadorias Pedagógica e de Gestão de Recursos Humanos, do Centro de Mídias SP (CMSP) e da Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação Paulo Renato Costa Souza (Efape), são guiadas por: Renilda Peres Lima, Viviane Cardoso, Cecília Cortez da Cunha Cruz e Bruna Waitman respectivamente, sendo que a última está à frente do CMSP e Efape. Conheça os perfis:

Abaixo apenas do Secretário da Educação, a Secretária Executiva Renilda Peres de Lima é formada em Licenciatura Plena em Pedagogia e Supervisão Escolar, com pós-graduação em Administração Escolar e Gestão Educacional pela Universidade Federal de Mato Grosso.

Como professora, Renilda atuou na rede pública de ensino do Estado de Mato Grosso e também na rede municipal de ensino do município de Rondonópolis, ocupando os cargos de supervisora, diretora de escola e Coordenadora do Departamento de Educação. Nesse período, esteve à frente da construção da política de gestão democrática, tendo como principal iniciativa o PDE/Escola, mais tarde disseminado pelo Programa Fundescola nas regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste.

Na esfera federal, Renilda atuou como coordenadora de gestão educacional na disseminação dos Programas PDE/Escola, Escola Ativa e Planejamento Estratégico nos estados beneficiados pelo Programa Fundescola. No Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), coordenou a implantação do Plano de Ações Articuladas (PAR), PDE/Escola e Programa de Infraestrutura Escolar para todos os estados e municípios brasileiros. Na Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação coordenou a implantação do Programa Educação Conectada, Centro Nacional de Mídias e as inovações no Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD).

Viviane Pedroso Domingues Cardoso é ex-aluna e professora da rede estadual de São Paulo. Bacharel, licenciada e mestre em História pela USP, lecionou para as etapas dos anos finais do Ensino Fundamental, Ensino Médio, para a Educação de Jovens e Adultos e no Programa de Ensino Integral, onde também foi Professora Coordenadora de Área (PCA). Atuou, ainda, como Professora Coordenadora do Núcleo Pedagógico (PCNP) de História na Diretoria de Ensino Centro – Oeste, onde também acompanhou a educação para estudantes em situação de privação de liberdade.

Em 2018, já no órgão central, foi diretora do Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA), redatora do componente de História do Currículo Paulista, além de desempenhar atividades de coordenação de etapa para a sua implementação e de redação dos materiais didáticos de História. Liderou o Centro de Apoio Pedagógico (CAPE) e o Departamento de Desenvolvimento Curricular e de Gestão Pedagógica.

Em sua trajetória, trabalhou também na rede de ensino privada, foi escritora de produções para o PNLD e pesquisadora das temáticas de historiografia paulista. Desde janeiro de 2022 é a Coordenadora da Coordenadoria Pedagógica da Seduc-SP, responsável pelo conteúdo dos 3,5 milhões de estudantes da rede estadual.

Cecília Cortez da Cunha Cruz é Coordenadora de Gestão de Recursos Humanos da Seduc-SP, responsável por mais de 240 mil funcionários. Na Secretária já atuou em projetos prioritários do Gabinete do Secretário. É graduada em Administração Pública pela FGV-SP e, durante o período de transição da gestão de 2021, foi Secretária Municipal de Educação em Ferraz de Vasconcelos. Antes do governo, também trabalhou na Fundação Lemann, onde era responsável por projetos de apoio na formulação e implementação de políticas públicas de gestão de pessoas em nível municipal, estadual e federal.

Na dobradinha CMSP e Efape, Bruna Waitman é formada em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas e atua desde 2013 implementando políticas públicas na área de educação em estados das cinco regiões do Brasil. No município de São Paulo, contribuiu para criação de política de inclusão de estudantes do Ensino Médio no mercado de trabalho e de suporte para se aproximarem de seus projetos de vida. Na Seduc-SP já coordenou o Programa de Ensino Integral, a implementação do Inova Educação e do Centro de Mídias da Educação de São Paulo.

Nobel da Educação

Outras duas mulheres de destaque liderando projetos na rede estadual são as professoras Débora Garofalo e Doani Emanuela Bertan. Elas foram finalistas em 2019 e 2020, respectivamente, do Global Teacher Prize, conhecido como o “Prêmio Nobel da Educação”.

Utilizar objetos do dia a dia, e que para muitos seriam lixo, para criar tecnologia é premissa do trabalho de Débora. O projeto de robótica com sucata foi o que a levou ao prêmio e posteriormente o convite para a implementar a disciplina de Tecnologia e Inovação nas escolas estaduais. Além da sala de aula, Débora foi a responsável por idealizar um espaço totalmente tecnológico e moderno para estudantes e professores da rede.

O Centro de Inovação da Educação Básica Paulista (CIEBP) é um espaço que busca potencializar a criação, o desenvolvimento, a avaliação e a disponibilização de métodos, práticas e tecnologias para atender aos desafios da educação pública contemporânea. Hoje, já são nove unidades do CIEBP, sendo oito pontos fixos e uma unidade móvel. O plano de expansão prevê que, neste ano, sejam inaugurados no total 26 Centros de Inovação.

Doani é professora bilíngue de português e libras e possui um canal no Youtube, o Sala8, onde divulga videoaulas em libras das disciplinas de matemática, português, geografia, ciências e história. Os conteúdos são ministrados pela professora visando o acesso à educação básica aos alunos surdos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental. Na Seduc-SP ela é a responsável pelo planejamento da Educação Especial do CMSP.

Em homenagem ao seu trabalho, neste Dia Internacional da Mulher, Doani foi escolhida para se tornar uma boneca Barbie. A ação é promovida desde 2015 com intuito de reconhecer o trabalho de mulheres no mundo inteiro. Neste ano foram 12 escolhidas, além da professora a lista conta com nomes como a produtora norte-americana Shonda Rhimes, conhecida principalmente pela série Grey’s Anatomy, e a estilista chinesa Lan Yu.

Em todo o quadro da Seduc-SP, dos 242.878 servidores, 175.654 são cargos exercidos por mulheres, o que representa 72%. Na direção das escolas, 71% são mulheres (3.579 diretoras) e, nas salas de aula, são 141.921 professoras.