sexta-feira, 07/03/2014
Imprensa

Mulheres são maioria no comando da rede estadual de ensino

Levantamento mostra que a participação feminina é majoritária na sala de aula, entre os docentes, diretores, servidores e residentes da Educação Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado amanhã, dia 8 de março, a Secretaria Estadual da Educação fez um levantamento para mostrar a importância da participação do sexo feminino na rede estadual de […]

Levantamento mostra que a participação feminina é majoritária na sala de aula, entre os docentes, diretores, servidores e residentes da Educação

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado amanhã, dia 8 de março, a Secretaria Estadual da Educação fez um levantamento para mostrar a importância da participação do sexo feminino na rede estadual de ensino, a maior do país. Os dados revelam que elas são maioria desde a sala de aula até entre os cargos de chefia das escolas. No quadro da diretoria, por exemplo, a rede conta com mais de 81% de mulheres em um universo que totaliza 4 mil profissionais em exercício.
 
O cenário não é diferente entre as 91 diretorias regionais de ensino do Estado, responsáveis por administrar as 5 mil escolas estaduais: 77% dos dirigentes são mulheres que controlam dezenas de escolas da capital, Região Metropolitana e interior de São Paulo.
 
Entre os docentes, a presença feminina também é majoritária.  No geral, o sexo feminino responde por 73,8% dos professores. Já na parcela que leciona para os 3ºs e 5ºs anos a porcentagem é ainda maior e sobe para 97,5%. Entre elas, o nome “Maria” é o mais comum, sendo o batismo de 14 mil docentes, conforme os dados da Coordenadoria de Informação e Monitoramento Educacional (Cima) da Secretaria.
 
No quadro de apoio escolar, lá estão elas: 83,1% são do sexo feminino, enquanto na área administrativa o percentual é de 78,1%. No ano passado, a Secretaria criou uma nova figura na engrenagem da educação, em um programa chamado “Residência Educacional”. São estudantes universitários de licenciatura que têm a primeira experiência com o ensino nas escolas estaduais e, para isso, recebem bolsas de R$ 600. Os números de 2013, colhidos por meio do Centro de Projetos Especiais da Secretaria, mostram que mais uma vez o sexo feminino é de extrema importância para dar fôlego ao projeto inspirado na residência médica. São 1.016 mulheres residentes, o que representa 60% do total de participantes.
 
“A mulher é de extrema importância para o processo de aprendizagem da nossa rede, sendo figura essencial na sala de aula, nos cargos de chefia e no apoio escolar. Aproveitar o Dia Internacional para parabenizá-las é uma oportunidade para agradecer todo empenho e dedicação que elas fornecem aos nossos 4 milhões de alunos”, afirma o secretario da Educação, professor Herman Voorwald.

Por fim, dando continuidade à maioria feminina em nossa rede, as mulheres também estão em maior quantidade entre inscritos no maior concurso da história da Educação. Entre os mais de 322 mil inscritos, 66,4% são mulheres que querem ingressar na maior rede de educação do Brasil e contribuir de forma decisiva para o ensino paulista.

Confira, no Portal da Educação, (www.educacao.sp.gov.br) uma homenagem ao Dia Internacional da Mulher com histórias de professoras que fazem a diferença em suas escolas.