domingo, 27/01/2019
Governo do Estado de São Paulo
Boas Práticas

Na capital, projeto transforma a escola com a cara dos alunos 

‘Minha Escola, Minha Cara’ se tornou uma ação interdisciplinar da E.E. Padre Antão que ressalta o protagonismo juvenil

“O que você mudaria na sua escola?”. Essa foi uma pergunta que os alunos da E.E. Padre Antão, na capital paulista, tiveram que responder. Com o intuito de incentivar o protagonismo juvenil, a unidade criou o projeto “Minha Escola, Minha Cara”.  

A partir dele, os estudantes podem trabalhar juntos para construir um novo olhar para sua unidade de ensino. A iniciativa surgiu das aulas de Arte e ganhou força quando foi multiplicado e transformado em um trabalho multidisciplinar. 

Segundo a professora da disciplina, Monica Garcia Patrício, essa era uma ideia que já vinha desenvolvendo desde que começou a trabalhar na unidade. Ela conta que inicialmente foi feito um passeio pela escola, onde os alunos puderam fotografar os detalhes que mais lhes chamassem a atenção. “Eles foram buscando novos olhares”, afirma.  

Em seguida, foram feitas algumas intervenções. Em algumas paredes, por exemplo, foram colocados “curativos” de papel para cobrar a consciência pelo zelo ao espaço público de todos os membros da unidade. 

“Tinha parte da escola que para mim não fazia diferença nenhuma, e com esse trabalho passou a ter maior importância”, conta a aluna Beatriz Cardoso.  

Outro exemplo foi a cabine de um banheiro que estava em desuso e foi reutilizada como ambiente de reflexão. Na saída do sanitário, uma caixa com mensagens passou a ficar à disposição, para que a pessoa pegasse um dos papeis, lesse e repensasse se aquela é a escola que ela queria. 

Assim, os docentes de outras disciplinas começaram a se envolver no projeto, como conta o professor de Química, Jorge Rivelino Costa. “Juntamente com eles, conseguimos transformar todo esse espaço em um laboratório de uso comum”, avalia. 

“A gente pode presenciar as experiências, ter uma interação maior com o professor, e isso é totalmente diferente do que acontecia antes do projeto”, afirma o aluno Gabriel Roland Barbosa. 

Desde que a ação foi implementada, os estudantes se tornaram mais participativos dentro e fora da sala de aula. O intuito de projetos como este é ressaltar a importância de fazer com que o jovem participe das decisões que são tomadas pela sua unidade de ensino.