quarta-feira, 18/11/2015
Pais e Alunos

Não haverá salas lotadas em escolas reorganizadas. Entenda!

Módulo de alunos por sala foi respeitado para a composição das turmas das escolas impactadas

Na última quarta-feira (18), em uma coletiva com a imprensa, o secretário da Educação Herman Voorwald falou sobre o númeo de alunos nas salas de aula, assunto que vem repercutindo com a reorganização escolar que ocorrerá em 2016.   

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

“A média de alunos do Estado de São Paulo, de 1º ao 5º ano, é de 27 alunos; do 6º ao 9º ano, gira em torno de 35 alunos; já a média do Ensino Médio, é 32 estudantes em sala”, explica. “Na realidade, não há questão da superlotação. O que existe, em algumas regiões, para não deixar a criança ou o jovem fora da escola, é permitido com que a sala ultrapasse o módulo, ou seja, exceda o número de estudantes por sala. Isso é para que aquele jovem possa estar na escola. Mas no caso da reorganização, em nenhuma hipótese, a superlotação de sala ocorrerá”, afirmou o secretário da Educação, Herman Voorwald.

– Clique aqui e saiba mais sobre a reorganização.

Sobre a reorganização

Além de ampliar o número de escolas divididas pelos três ciclos de educação (Ensino Infantil, Ensino Fundamental – Anos Iniciais e Anos Finais – e Ensino Médio), o objetivo da reorganização escolar é melhorar a qualidade do ensino das escolas de São Paulo. Com a nova proposta, os alunos do Ensino Médio, por exemplo, passarão a estudar apenas com estudantes deste segmento. O mesmo vale para os alunos dos ensinos Infantil e Fundamental.

Para 2016, serão criadas mais 754 escolas de ciclo único focadas em uma única faixa etária. Assim, 2.197 escolas em todo o Estado (43% do total) passarão a funcionar neste modelo a partir do próximo ano letivo. Também haverá a diminuição de 18% de escolas de dois segmentos, passando de 3209 para 2635. Com este processo, serão reabertas 2.956 classes ociosas. Saiba mais aqui.

Vale destacar que nem todas as escolas passarão pela reorganização. As escolas com mais de um ciclo ainda funcionarão, devido às diferenças demográficas e as necessidades por escolas para diversas faixas etárias em algumas regiões.