quarta-feira, 09/05/2018
EJA - Educação de Jovens e Adultos

No Museu Biológico é possível conhecer quais são os animais venenosos e inofensivos

As visitas são acompanhadas por educadores, que podem tirar dúvidas sobre os bichos

No Museu Biológico do Instituto Butantan, o visitante encontra, além dos animais, painéis e placas com informações específicas sobre veneno e acidentes ocasionados pelos mesmos. Grande parte das espécimes é formada por representantes da fauna brasileira, e a exposição tem por objetivo apresentar bichos vistos comumente como assustadores em seu contexto ambiental natural. Além disso, ressalta a importância dos diferentes organismos na manutenção dos ecossistemas.

O museu abriga cerca de 100 animais, entre serpentes, escorpiões, aranhas, lagartos, anfíbios, peixes, e até uma espécime de anfisbena (classificação para a cobra-de-duas-cabeças). As crianças se divertem de diversas formas, como quando descobrem que as jiboias, por exemplo, podem chegar a ter quatro metros de comprimento, ou na tarefa de encontrar a cobra-cipó, que se camufla facilmente no cenário construído para reproduzir o ambiente natural dos bichos.

As visitas são acompanhadas por educadores, que podem tirar dúvidas sobre os animais em exposição e, também, sobre o equipamento público. Grupos formados por, no mínimo, 20 pessoas podem agendar, com antecedência, visitas temáticas.

Visita Regular

Essa atividade é integrada à visitação dos outros museus do parque, no Instituto Butantan: Museu Histórico, Museu Biológico e Museu de Microbiologia. A visita inclui uma apresentação sobre o instituto e a ordem de visitação aos museus é fixa. No Museu Biológico, os participantes conhecem parte da diversidade dos répteis, anfíbios e artrópodes, com destaque para fauna brasileira e para aqueles que podem causar acidentes. O grupo pode circular livremente dentro do museu, sendo que os educadores estão disponíveis para responder a perguntas dos visitantes.

Saiba Mais

A Oficina Saiba Mais apresenta ao visitante réplicas e peças biológicas relacionadas à biologia dos animais peçonhentos, o que aprofunda os temas apresentados na exposição do Museu Biológico. Os aspectos da biologia, como táticas defensivas, alimentação e reprodução de serpentes, são apresentados para o público durante uma conversa e ilustrados com o manuseio dos modelos e réplicas.

São ainda exploradas as características que permitem a identificação das serpentes peçonhentas, os principais artrópodes causadores de acidentes no Brasil, e as práticas de primeiros socorros em caso de acidentes com estes animais.

A Oficina se encerra com a apresentação para o público de uma serpente não-peçonhenta. O objetivo é aguçar a curiosidade e o interesse por animais peçonhentos, a partir dos conhecimentos trazidos pelos participantes sobre estes animais, e discutir em que circunstâncias ocorrem os acidentes.

Outras atividades especiais acontecem no museu, como “Metamorfose das borboletas”, que permite às crianças estabelecerem contato com pequenos animais, “Descobrindo as partes dos artrópodes”, onde os visitantes conhecem as principais partes do corpo de diversos grupos de artrópodes (aracnídeos, insetos e miriápodes), “Por que existem tantos artrópodes no mundo?”, atividade que identifica as características que definem os artrópodes, “Pesquisador por um dia: o trabalho de campo do biólogo”, que aproxima o participante da rotina de trabalho de pesquisadores, e “Animais peçonhentos: aranhas, escorpiões e serpentes, que apresenta os animais peçonhentos como parte integrante da diversidade dos seres vivos.

Todas essas atividades acontecem de terça a sexta-feira, entre 10h e 16h. As visitas devem ser agendadas pelo telefone (11) 2627-9452 ou e-mail: falecomhorto@butantan.gov.br, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Serviço
Museu Biológico do Instituto Butantan
Endereço: Avenida Doutor Vital Brasil, 1500 – São Paulo/SP
Telefone: 11 2627-9837
Horário de funcionamento: terça a domingo, das 9h às 16h45
Mais informações pelo e-mail: museubiologico@butantan.gov.br